Qual a diferença entre suco, néctar de frutas e refresco? - Superinteressante

RESPOSTAS

Qual a diferença entre suco, néctar de frutas e refresco?

Depende da concentração de polpa, a parte comestível da fruta

por Luiza Sahd

O tipo mais comum encontrado nos supermercados não é o suco, mas o néctar de frutas. Os fabricantes de bebidas só podem chamar de suco os produtos que tiverem cerca de 50% de polpa, a parte comestível da fruta. Já o néctar de frutas, que não tem nada a ver com flores, é mais doce e tem entre 20% e 30% de polpa de frutas - bem menos do que o suco.

A diferença entre os rótulos é evidente desde 2009, devido a uma lei obrigando os fabricantes a destacar no rótulo o que é néctar, refresco, suco etc. A nutricionista Tanise Amon colocou na balança todos os tipos à venda. "O número de calorias é equivalente, varia de 90 a 115 por copo. O que muda é a quantidade e qualidade do açúcar", explica.


Para pensar pilotando o carrinho

Veja outros tipos daquilo que chamamos de "suco"


Refresco de fruta

Campeã na concentração de açúcar, tem só 8% de polpa. Equivale a um refrigerante de frutas.


Suco em pó

Deixa a desejar no quesito propriedades nutricionais e tem sódio, não recomendado a hipertensos.


Suco concentrado

Tem menos açúcar que o néctar e é mais barato. Leva corantes, aromatizantes e conservantes.


Suco integral

Alternativa mais cara ao néctar. Não tem conservantes e não é adoçado artificialmente. E vem pronto.


Fontes Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec);Tanise Amon, nutricionista do Instituto de Metabolismo e Nutrição (Imen)

publicidade

anuncie

Super 345 - Falta de sol e a polêmica da vitamina D Por anos, o sol foi um vilão da saúde, e aprendemos a nos esconder dele. Hoje, mais da metade da população tem níveis baixos de vitamina D. E isso pode estar ligado ao aumento nos casos de depressão, câncer e outras doenças. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 345
abril/2015

Falta de sol e a polêmica da vitamina D
Por anos, o sol foi um vilão da saúde, e aprendemos a nos esconder dele. Hoje, mais da metade da população tem níveis baixos de vitamina D. E isso pode estar ligado ao aumento nos casos de depressão, câncer e outras doenças.

- sumário da edição 345
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Alimentação

publicidade

anuncie