Blogs

Posts da categoria ‘relações’


Adiar o sexo faz bem para o relacionamento

1 de julho de 2011

Segurem as calças aí, gente.

Veja bem, não estamos querendo jogar balde de água fria e atrapalhar a diversão de ninguém. Mas, de acordo com pesquisadores da Universidade Brigham Young, nos EUA, se você está atrás de algo sério, a dica é deixar certas intimidades mais pra frente.

“O melhor é testar a compatibilidade sexual o mais cedo possível ou investir na contenção, para que outras áreas do relacionamento possam se desenvolver?”, questiona o estudo. “Exploramos essa questão com uma amostragem de 2035 indivíduos casados, examinando o quão cedo eles se tornaram sexualmente envolvidos como casal e quais efeitos isso tem na qualidade do sexo, comunicação, satisfação e estabilidade atuais do casal”.

E não teve erro. “A contenção sexual está associada a melhores resultados no relacionamento”, pregam os pesquisadores, “mesmo levando em consideração nível de educação, número de parceiros sexuais, religiosidade e o tempo que o casal está junto”.

Só tem um detalhe. A Brigham Young é uma universidade religiosa, mantida pela igreja mórmon. Ops. E aí, a gente confia que o resultado é idôneo? Ou, por causa disso, vocês desconfiam da palavra dos pesquisadores?

Leia também:
Ruivas fazem mais sexo
Limpar a casa faz bem à vida sexual
Sexo faz o cérebro crescer


Ex-gordinhas fazem mais sucesso com os homens

21 de junho de 2011

Elas parecem ser mais amigáveis, espertas, criativas e emocionalmente equilibradas do que as mulheres que sempre foram esbeltas. Mas isso só aos olhos dos homens. As outras mulheres, talvez irritadas pela competição extra, veem as ex-gordinhas como indisciplinadas, preguiçosas e até, hum, pouco higiênicas.

O estudo vem lá da Universidade de Liverpool, na Inglaterra. Os pesquisadores mostraram a 106 homens e 96 mulheres a foto de uma mulher bonita e magra, acompanhada de uma curta biografia. Para alguns, a moça da foto tinha mantido aquele peso por toda a vida, enquanto outros eram informados de que ela costumava pesar 100kg e usar vestidos tamanho 52.

Na hora de avaliá-la, as mulheres que enxergaram a ex-gordinha não foram nada legais e abusaram dos adjetivos negativos: para elas, a modelo parecia ser, só pra começar, uma pessoa instável, desleixada e de mal com a vida.

Mas, para o sexo masculino, a suposta perda de peso era um aspecto positivo, capaz até de melhorar as avaliações que eles faziam da mulher fictícia. “Alguns homens preferiram que ela tivesse esse histórico. Eles a consideraram mais acessível. Ela não é perfeitinha. Ela tem problemas”, explica o líder da pesquisa, Jason Halford.

Leia também:
Mulheres gordinhas fazem mais sexo
Homens gordinhos são melhores de cama
Perder peso é mais difícil se você é otimista


Facebook melhora suas amizades da vida real

16 de junho de 2011

Conforme as redes sociais vão crescendo e ganhando mais e mais usuários – só o Facebook está próximo de chegar aos 700 milhões, o que equivale a, uau, cerca de 10% da população mundial -, cresce também aquela pregação sobre como elas criam um distanciamento entre as pessoas e enfraquecem as relações.

Parece que não é bem assim. Uma pesquisa do Pew Research Center, nos EUA, que entrevistou mais de duas mil pessoas, constatou que quem usa o Facebook tem laços mais fortes com os amigos da vida real do que os que não têm perfil por lá.

Segundo os pesquisadores, a maioria dos americanos têm, em média, apenas dois amigos que podem ser considerados próximos de verdade, parceiros mesmo, brothers para o que der e vier. Mas os usuários do Facebook têm 9% mais relacionamentos do tipo.

O sentimento de “suporte social” - o quanto você acha que pode contar com as pessoas do seu círculo – dos conectados também foi maior: numa escala de 0 a 100, 75 para os não-usuários, 80 para os usuários da rede. Para completar, os pesquisadores perguntaram aos voluntários sobre o quanto eles tendiam a confiar nas pessoas. E viram que o pessoal do Facebook é três vezes mais propenso a botar fé nos outros do que os sem perfil.

E aí, curtiu? Compartilha.

Leia também:
Quem usa Twitter se masturba mais
Facebook sabe quando você vai terminar o namoro
Amigos virtuais são (quase) tão importantes quanto a família


Mulheres se interessam mais por homens comprometidos

2 de junho de 2011

A ciência apareceu para justificar um pouquinho da loucura da Glenn Close em “Atração Fatal”.

Um estudo da Oklahoma State University, nos EUA, comprovou o que a gente suspeitava desde o princípio: uma aliança na mão esquerda é o melhor afrodisíaco. Para as mulheres solteiras, pelo menos.

As pesquisadoras recrutaram 184 estudantes heterossexuais (metade deles era comprometida; a outra metade, livre, leve e solta) e testaram o quanto eles se interessavam por modelos apresentados em fotos.

Aí vem a parte legal: entre as mulheres solteiras que ouviram que o bonitão da foto também era solteiro, apenas 59% demonstraram interesse em sair com ele. Já entre as que ouviram que ele era comprometido, 90% ficaram interessadas.

E entre os homens? Não houve grande diferença. Solteira, casada, não importa: eles estão topando.

Leia também:
Música romântica deixa mulheres mais “facinhas”
Homens mentem duas vezes mais do que mulheres
Pílula deixa as mulheres mais ciumentas


Comédias românticas estragam a sua vida

25 de maio de 2011

Que feio, Julia Roberts.

Pesquisadores da Universidade de Heriot-Watt, na Escócia, constataram (em um trabalho bem divertido) que assistir a comédias românticas deixa a gente com expectativas irreais – e potencialmente perigosas – quantos aos relacionamentos da vida real.

Analisando 40 sucessos do gênero (como “Enquanto Você Dormia”, com o casalzinho Sandra Bullock e Bill Pullman, e “Mensagem para Você”, com Meg Ryan e Tom Hanks), eles isolaram alguns dos elementos mais perigosos das histórias: os conceitos de que casais se apaixonam instantaneamente; que, no final, o destino sempre une as pessoas que se amam; e que há apenas um par perfeito para cada um. Além disso, nos filmes as traições e mancadas são superadas com muito mais facilidade do que na vida real.

Identificado o inimigo, os especialistas colocaram cerca de 100 voluntários para assistir a “Escrito nas Estrelas” – aquele filme fofinho com John Cusack e Kate Beckinsale. Outros 100, enquanto isso, assistiam a um drama de David Lynch.

Em um questionário feito após a sessão, quem viu a comédia romântica demonstrou convicções muito mais fortes nos conceitos românticos, como destino, do que os outros. Inocentes. “Se você acha que é assim que as coisas funcionam, pode se preparar para uma decepção”, aconselha o líder do estudo, Bjarne Holmes.

Leia também:
7 dicas científicas para ter um casamento feliz
Homens são mais românticos do que mulheres
Casais que falam como bebê são mais felizes


Página 6 de 11primeira...234567891011