Bota na conta da Copa – Como os estádios privatizam dinheiro público

Por Atualizado em 24/06/2013

Maracanã

Vou propor um passatempo. Veja onde está o erro aqui, neste trecho do discurso da Dilma:

Em relação à Copa, quero esclarecer que o dinheiro do governo federal gasto com as arenas é fruto de financiamento que será devidamente pago pelas empresas e os governos que estão explorando estes estádios. Jamais permitiria que esses recursos saíssem do orçamento público federal, prejudicando setores prioritários como a Saúde e a Educação.”

Encontrou o erro? O problema ali é tratar “orçamento federal” e “governos” como coisas essencialmente diferentes. Claro, elas até são diferentes. Mas para nós, aqui no chão da fábrica, é tudo a mesma coisa: não interessa se quem está gastando o dinheiro é o governo federal ou o estadual. O que interessa é que a grana saiu daqui, da fábrica de dinheiro que alimenta o Estado, via impostos. Essa fábrica onde a gente trabalha 5 meses por ano (o tempo do nosso trabalho que vai exclusivamente pro pagamento de tributos – sejam federais, estaduais, municipais ou para a Rainha de Copas do País das Maravilhas, já que imposto é sempre imposto).

Bom, os financiamentos que a Dilma falou vêm do BNDES. O banco estatal se comprometeu a emprestar até R$ 400 milhões para cada estádio – fosse para governos ou para empresas. Dos 12 estádios da Copa, só o Beira Rio foi recauchutado com dinheiro 100% privado. Em todos os outros casos, o governo emprestou para o governo. Tirou uma dívida de um bolso e colocou no outro.

Para simplificar as coisas aqui, vamos focar no caso de um estádio só: o Maracanã. O governo do Rio levantou os R$ 400 milhões que lhe cabiam com o BNDES. E vai pagar direitinho, por que a garantia do empréstimo é o dinheiro dos próprios impostos que o Rio tem a receber no futuro. Ou seja: ou o governo paga com os impostos ou, se não tiver outro jeito, paga com os impostos. E o único jeito de isso não causar prejuízos a “setores prioritários, como a saúde e a educação” é se o governo fluminense tirar esses R$ 400 milhões da verba de champagne do Palácio. E não deve tirar, porque abrir champagne é importante na hora de comemorar metas cumpridas, objetivos conquistados.

Uma dessas metas cumpridas, objetivo conquistado, foi justamente vender o Maracanã a uma empresa – no caso, o consórcio “Maracanã SA”, formado pela Odebrecht, pela promotora de eventos AEG (dona do Staples Center, o ginásio dos Lakers) e pela IMX (a empresa de eventos do Eike, sócia do Rock in Rio). Mas ok: nada contra privatizações. O problema é privatizar por pouco dinheiro.

A conta da reforma ficou em R$ 1,2 bilhão. Tudo pago, ou a ser pago, com dinheiro público. Bom, o consórcio levou o estádio por R$ 181,5 milhões. Cento e oitenta e um milhões que vão ser pagos em mais prestações do que liquidificador das Casas Bahia: 33 parcelas anuais de R$ 5,8 milhões.

Quando Eike emprestou o jatinho para o Sérgio Cabral, governador do Rio, retrucou dizendo no Twitter que “não tinha contratos com o governo”. Agora tem.

Bom, o outro lado dessa história é que o governo deixa de ter de gastar R$ 43 milhões por ano com a manutenção do estádio, mais meio bilhão nas reformas necessárias para a Olimpíada, além de não correr o risco de o Maracanã só dar prejuízo daqui para a frente. Além disso, a proposta da Maracanã SA era mais alta que a do consórcio que concorria com ela (OAS + Stadion Amsterdam N.V. + Lagardère Unlimited). Mas nada disso cobre os 1,2 bilhão que já foram embora.

Num mundo perfeito, privatizariam o estádio antes da reforma. E quem esperasse lucrar com ele século 21 afora que pagasse a conta. Mas não. Você pagou a conta. E se você não mora no Rio, pagou alguma conta também. Basta que more em qualquer Estado com estádio para a Copa – mesmo no Rio Grande do Sul, já que a empresa que assumiu a reforma lá não vai precisar pagar os impostos federais da obra. Impostos que, num mundo perfeito, poderiam ter ido para “setores prioritários, como a saúde e a educação”. As áreas que a presidente “jamais permitiria” tocar.

 

—————————————————————————————-

 

PS 1. Para quem gosta do assunto, sugiro seguir o Facebook do professor de contabilidade Paulo Henrique Feijó, superintendente da Secretaria da Fazenda do RJ, e que levantou a bola desta discussão toda na página dele.

PS2. O último texto do Denis Burgierman complementa bem este aqui. E vice-versa.

Crédito da foto do Maracanã: Leandro Neumann Ciuffo, Creative Commons

 

  • https://twitter.com/1marotta Marotta

    Versignassi como sempre falando a verdade mais nua, crua e imparcial dessa mídia! Fantastico texto!

  • Rômulo Chaves

    Show. Ei, Alexandre, tem uns comentários bem legais sobre seu livro na Saraiva, hehe.

  • Priscila Castilho

    Não sou grande entendedora do assunto, mas não faltou contabilizar o retorno que haverá em ingressos e publicidade? Valor este que imagino ser até maior que os gastos, se não, qual seria o propósito de sediar uma Copa do Mundo, né…

    • Alexandre Versignassi

      Agora chegou, Priscila! Então: a Fifa monopoliza ingressos e publicidade nas Copas.

  • Rafael CT

    Engraçado como só nessa meia parcela foi comido uns 300 milhões para comprar cada trave, mas ninguém sabe de nada… Aliás ninguém ali desvia dinheiro. (Governo de merda esse do Brasil)!

    • Alexandre Versignassi

      Vale a pena chafurdar nos números de todas as obras.

  • João Henrique

    meus parabéns pela análise. acabou de elevar consideravelmente o nível desta publicação! talvez não seja exagero destacar que qualquer empréstimo do BNDES por si só já implicaria um desvio na alocação de recursos, já que os juros são subsidiados. se o BNDES precisa emprestar o dinheiro então é provável que o negócio seja uma furada: nenhum gestor privado topou financiá-lo.

    • Alexandre Versignassi

      Oi, João. Não vejo um grande problema em ceder dinheiro barato (não que não seja um problema). Complicado mesmo é o ônus ficar pra sociedade e o bônus para grupos privados.

  • Samuel

    Mas o Maracanã não foi privatizado. Houve apenas a concessão por 35 anos.

    • Alexandre Versignassi

      Eu sei, Samuel. Mas a ideia de concessão é eufemística. O Maracanã, para todos os fins práticos, pertence ao consórcio.

  • josimar Queiroz de sousa

    parabéns pela matéria, Alexandre Versignassi

  • Júnior Lima

    Seus textos são excelentes Versignassi. Li também o artigo que você comentava sobre os elevados custos no Brasil e, o grande absurdo, é que moro numa cidade que possui uma única livraria (nada de interessante por lá), sendo assim, as lojas virtuais representam a solução, mas o frete, para adquirir um livro como seu, por exemplo, custa o suficiente para abastecer um veículo 1.0 e fazer 3 percursos até o meu trabalho…Cartão vermelho para nosso país!!!

  • Priscila Castilho

    Oi… Fiquei muito chateada com o fato de não terem aprovado meu comentário neste texto. Gosto tanto dos textos do Versi, agora esse fato vai ficar interferindo negativamente na leitura de cada um dos próximos. =( Mas, bom, acho que ele não tinha resposta pra minha pergunta.

    • Alexandre Versignassi

      Deve ter dado algum problema… Manda de novo.
      Bjs

  • Gilma

    Parabéns Alexandre! Gostei da sua contabilidade, mas o rombo é bem maior que isto! E o mais preocupante é que não existe retorno positivo em momento algum para nós o Povo.

  • Renata

    Sinto falta de um botão para compartilhar esse conhecimento tão útil com os meus amigos no facebook!

  • LUCIANO DO ES SILVA

    É NOTÓRIO QUE ALÉM DE LIMITAR A POPULAÇÃO NOS BÁSICOS DE SEUS DIREITOS COMO:SAÚDE,EDUCAÇÃO,SEGURANÇA, TRANSPORTE PÚBLICO E DE CARGA DO PAÍS,QUE É UM DOS RESPONSÁVEIS PELO ALTO CUSTO DOS ALIMENTOS.O GOVERNO E OS PARLAMENTARES QUEREM SUBMETER A POPULAÇÃO A UM PLEBISCITO ONDE GRANDE MAIORIA NÃO TEM DISCERNIMENTO PARA ANALISAR COM EXATIDÃO E LEGITIMIDADE AS PRIORIDADES DO PAÍS.ISSO É PRERROGATIVA DO CONGRESSO.ELES ESTÃO PERDIDOS!!!!!

  • Denise Dondi Albuquerque

    Editor da Super , muito bom o seu texto , penso que no Brasil de hoje algumas pessoas pensam muito bem antes de planejarem um filho , pois a coisa tá horrível , totalmente , nem filhos podemos ter , onde está a segurança , a saúde , a educação que eu gostaria que fosse revista e modernizada temos uma educação atrasada em nossas escolas , estamos em um mundo diferente , tenho 26 anos ,quando estudava já estava educação atrasada , o que é isso? todas essas questões ,esse abandono ao povo brasileiro por meio dos políticos é um meio de ditadura velada , NÃO SOMOS LIVRES , a opressão existe de vários jeitos. OBS leio a Super desde os meus 14 ou 15 anos , a primeira matéria que me interessou acho que foi sobre Leonardo da Vinci. Agradeço a Super pelos belos esclarecimentos dos fatos da vida…Bjos para todos que procuram informar e esclarecer. O CONHECIMENTO É TUDO , A ATITUDE É TUDO.

  • http://morethanthegame.wordpress.com Bruno

    triste que no nosso país, a imprensa “séria” não noticiou isso durante todo o tempo, e ainda se deixa levar por palavras vazias, enquanto isso, a ESPN Brasil, um canal puramente de esportes, vem levantando esse problema desde o começo, inclusive sofrendo represálias de CBF, COL, COB, e demais

    e agora?

    e agora nada.

    fizemos um pouco de barulho e mais uma vez vai dar em nada.
    O Maracanã foi destruído, construiram um novo e deram.
    O dinheiro foi pros mesmo de sempre, e vai continuar assim. Olimpiadas vem aí e vai dar na MESMA.

    país sem educação, com leis fracas e impunidade nas alturas.

  • andressa

    meu nome é Andressa rosa da silva tenho 11 anos e concordo com a Denise porque a gente não ve mais educação nas escolas mas eu entendo porque eu estudo ainda mas a unica materia que me importa a de educação física porque o meu professor me ensina
    ele sim é um professor muito bom eu quero saber se o estadio do rio grande do sul foi feito com o dinheiro publico e como que eles conseguiram esse dinheiro então agora vocês ja sabem que nas escolas tem que ter respeito,higiene,professor que saiba esplicar porque se não nem precisa mais ter escolas beijos…

  • gremio

    pelo q li o beira rio recebeu empréstimo do bnds sim. mas aqui ta como não recebeu….e o terreno do beira rio É DO GOVERNO, coloridas moram de possse

  • FabioS

    Vc esqueceu de mencionar que o Governo financiou vários empreendimentos da Copa e Olimpiada, além de algumas empresas privads com dinheiro do FGTS. Ou seja, vc trabalha e é obrigado e faz uma poupança forçada que te paga quase a metade da caderneta de poupança ou quase 1/3 do que é pago a um titulo publico. Caso vc queira comprar um imovel a daixa vai la neste fundo que te paga mixaria e te repassa um emprestimo a 10 ou 11% ao ano bruto, liquido quese 13. Só que para as empresas ela empresta este mesmo dinheiro por quese a metade que empresta para quem tem dineiro no fundo. Que maluquise é essa?

  • Paulo

    Alexandre,

    Existe alguma matéria que explique sobre aposentadoria, benefícios e salários de políticos. Como é pago tudo isso para os políticos? É através de impostos? Se sim, a maior parte dos impostos que pagamos retornam para nós? E porque quando falam em melhorar a aposentaria das pessoas físicas eles criam muitos discursos dizendo que irão arrombar a previdência? Mas a aposentaria de apenas 8 anos de políticos é muito confortável. Cresce muito o numero de políticos aposentados, os que já passaram por aqui.
    No meu ponto de vista a vida não é justa. Nascemos para sustentar toda a pirâmide. Deveria ter uma reforma politica que beneficiassem a todas as pessoas e não a politica atual que beneficiam a minoria.

    • Alexandre Versignassi

      Oi, Paulo. O asunto vale uma matéria, sim. Vamos colocar isso na pauta da redação.

      Abraço