10 curiosidades sobre a história do chiclete

Por Atualizado em 05/09/2013

Aqui na Super você já aprendeu que ele pode engordar, é verdade, mas também pode te ajudar a ficar mais esperto, inteligente e até dar uma mãozinha na hora da concentração. Mas, afinal, de onde vem o chiclete? Descubra 10 etapas da história da goma de mascar:

chuclete

1. Os pesquisadores se dividem sobre quem seriam os criadores da goma. Boa parte deles acredita que o chiclete surgiu por volta do ano de 9 000 a.C., na região da Mesopotâmia, onde foram encontrados resíduos de chicle feito de resina de bétula em dentes humanos. Outros defendem que os “pais” do chiclete seriam os povos antigos que viviam na América, antes mesmo da colonização europeia.

2. Os Maias, que viveram entre 1000 a.C e 900 d.C., mascavam resinas extraídas da árvore de Yucatán para refrescar o hálito.

3. Acredita-se que essa resina era chamada pelos Maias de “Tchi-Clé” (“Tchi” significaria “boca” e “Clé”, movimento). A palavra foi adaptada pelos colonizadores espanhóis.

4. Já os Astecas, que viveram entre os séculos XIV e XVI, faziam gomas de mascar a partir do látex do sapotizeiro – árvore que dá o sapoti – que produzia uma resina a qual os nativos davam o nome de chicle. Eles a utilizavam para ajudar na produção de saliva durante as caminhadas.

5. A guloseima como conhecemos hoje foi criada em 1872, pelo inventor norte-americano Thomas Adams. Depois de ver uma menina pedir um pedaço de parafina para mascar, ele inventou uma goma com as sobras de resina do Sapotizeiro. O sucesso de sua criação foi tão grande que logo Adams sofisticou a goma, que foi chamada de “Adams New York nº 1”.

6. Nas décadas seguintes ele precisou abrir várias fábricas para atender à grande demanda dos consumidores dos EUA.

7. Em 1880, um vendedor de pipocas de Cleveland, nos EUA, chamado Willian J. White, deu sabor à goma, e chamou seu produto de “Yucatan”. Já o chiclete de bola teve origem nas mãos de Frank H. Fleer, já no século XX. Ele chamou sua criação pelo sugestivo nome de Blibber-Blubbler.

8. Durante a Segunda Guerra Mundial, o produto passou a ser comercializado com o intuito de aliviar o estresse dos civis e dos soldados dos EUA. Foi no período pós-guerra que as vendas do chiclete dispararam.

Bubble Gum

9. Depois do fim da Grande Guerra as resinas naturais foram substituídas por substâncias sintetizadas a partir do refino do petróleo, por causa do custo de fabricação.

10. A partir da década de 1960 surgiram os primeiros chicletes sem açúcar.

 

 Fontes: ABICAB – Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados, Arcor e Mundo Estranho.

Related posts:

  1. 7 curiosidades sobre a história do papel higiênico
  2. 10 curiosidades que você (provavelmente) não sabia sobre o Vaticano e os papas
  3. 100 anos de sutiã: tudo o que você sempre quis saber sobre a peça
  • Ana Carolina Madeira

    Depois eu digo que colei chiclete no cabelo do Sansão e disse à Dalila que chiclete no cabelo não tem solução a não ser cortar….

  • Vinicius Azzi

    Matéria interessante, porém o termo que deve ser usado é chicle, não “chiclete”, que veio da marca “Chiclets”.

  • Allan Sophia

    Boa matéria.