Primeiro vibrador da História era terapêutico e movido a vapor. Conheça a história do objeto

Por Atualizado em 22/08/2012

Nada de erotismo. O primeiro vibrador da História estava bem longe de ser um “brinquedinho” sexual: era um objeto prescrito por médicos para curar uma doença mental feminina, a histeria. Ficou curioso, né? O filme Hysteria contou as curiosidades da invenção desse objeto. E o História sem Fim mostra como os vibradores saíram dos consultórios médicos e foram parar na sua gaveta nas vitrines dos sex shops.

Acalmando os ânimos

Durante o século XIX, a ansiedade, a irritabilidade e a insônia eram reclamações frequentes de mulheres em consultórios psiquiátricos. Entre os médicos, o diagnóstico mais comum era de histeria, uma doença psíquica. Para curar a enfermidade, era preciso acalmar o ânimo da mulherada. O primeiro conselho dado às casadas era animar a relação com o marido, pedindo que ele fizesse carinho na sua vagina… com as mãos! Se não desse certo, o tratamento às casadas era o mesmo oferecido às solteiras: massagem vulvar. Feita pelo próprio médico.

Reprodução

Com as mãos, o médico massageava o clitóris da paciente até ela atingir o orgasmo e ficar mais calma. Era um procedimento comum e profissional. Difícil não imaginar besteira, né? Mas os doutores juravam que não tinha nada de sexual nisso. Era como o exame de próstata realizado hoje nos homens: põe a mão, mas sem segundas intenções.

O problema é que algumas mulheres necessitavam de massagens que duravam horas. E os médicos ficavam com os dedos “ocupados” o dia todo. Para aliviar as mãos desses profissionais e as dos maridos, em 1869 o médico norte-americano George Taylor patenteou o primeiro vibrador e o batizou de The manipulator. Nada de pilha, bateria ou eletricidade: o primeiro vibrador era movido a vapor. Alguns anos depois, em 1880, apareceu o vibrador movido a manivela, inventado pelo inglês Joseph Mortimer Granville.

O primeiro vibrador elétrico só começou a ser comercializado no século XX, em 1902, pela empresa norte-americana Hamilton Beach, especializada em equipamentos de cozinha. Enfim, o remédio para curar a histeria feminina poderia ser levado para dentro dos lares.

Item de utilidade doméstica

Mesmo tendo se tornado um objeto doméstico, até os anos 1920, os vibradores não eram brinquedos sexuais. A publicidade da época, inclusive, anunciava as várias utilidades do produto – e nenhuma delas era erótica. Mas nos anos seguintes, os vibradores começaram a ser utilizados em filmes pornográficos e a sua imagem ganhou uma conotação sexual. Aos poucos, os brinquedos foram sendo proibidos pelos maridos e as propagandas em revistas e jornais começaram a desaparecer. O remédio virou fetiche.

No related posts.

  • Conceicão Alvares

    Muuuito interessante !

  • http://massagemtantrica-divyan.blogspot.com.br/ Divyan Diya – Terapeuta Corporal Tântrica

    Fico tentando imaginar como foi que o primeiro médico teve a ideia de desligar o botão da “histeria”, lá. Ou quem sabe, foi alguma paciente que o ensinou? De qualquer forma, o corpo feminino nunca foi compreendido. Dois séculos depois, muda o foco mas o mistério continua. Agora discutem a existência do Ponto G, da ejaculação feminina… Fala sério… A ejaculação feminina foi descrita por Aristóteles, quatro séculos antes de Cristo. O fato é que os homens sempre dominaram o mundo, pela força, mas sempre souberam e nunca admitiram que a mulher é mais poderosa, por isso é conveniente a eles que elas se mantenham ignorantes sobre si mesmas, o que a Igreja ainda tem uma forte influência nesse sentido. Mas um dia as mulheres acordarão e mudarão o mundo, pra melhor.

  • julie

    Nossa pode até ser meio sarcástico a prática desse médicos, mas se os homens de hoje aprendessem mais explorar essa área tão mágica do nosso corpo aprenderiam muito melhor o que realmente as mulheres gostam!

  • cicicici

    quem dera se tivese esse tipo de tratamento hoje em dia.
    ninguem iria trair nim=nguem… né?

  • LUIZ

    Caramba….se hoje os PS estão um inferno de cheio, imaginem como estariam se esta pratica ainda estivesse em voga….rsrsrsrs

  • Renata

    Sidnei, o problema nunca foi “mal comidas” e sim “mal comedores”

  • Lucia Torres

    Discordo completamente, não acho que o vibrador tenha sido inicialmente usado de forma diferente e apenas terapêutica. O que acho é que a sociedade da época, apenas por uma hipocrisia ainda maior que nos dias atuais, designava o uso de forma diferente, apenas isso.O vibrador foi criado, usado e abusado exatamente com o mesmo propósito que tem hoje, o de proporcionar orgasmos mais rapidamente. Ri muito com a propaganda no jornal, acho que seria impensável a sugestão do uso correto naquela época. Enfim, mudam-se os costumes e a abordagem, mas a preocupação com o pensamento e/ou julgamento da coletividade continua a mesma.

  • Alexandre Filgueiras

    No filme Barbarella de 1968 (cheeeeio de segundas intenções) a maravilhosa Jane Fonda é colocada numa “máquina de tortura” que na verdade é um desses vibradores antigos…

  • Lucas

    Super Interessante!

  • Marc meigs

    Discordo da comparação com o exame de próstata. Primeiro porque é feito por um homem em outro homem. Segundo porque requer conhecimentos específicos, não pode ser feito pelo próprio paciente. Completamente diferente da masturbação. Espertos esses médicos hEin!

  • Daniel

    Seja lá o tempo que for, o problema feminino continua sendo falta de sexo. Atualmene o vibrador foi trocado pelo Ricardão.

  • mirian

    interessante saber nunca imaginava que foi assim que foi criado os vibradores e muito nemos que tinha essa doença a cho que sofro dela kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • DURÃO

    Devia ser bom ser medico nessa epoca
    rs rs rs

  • Monique

    Concordo com a Dani. As coisas podem ser encaradas de formas diferentes dependendo da época e do contexto. Isso é incrível!

  • Rosemary Paula

    Imagine a cena…movido a manivela!!! Bizarro! rsrs

  • Debora

    aff… ser médico nessa época era bem bizarro!

  • Angela Lima

    Bastante interessante… hehehe

  • Dani

    As mudanças na forma com que a sociedade enxerga certas questões ao longo do tempo é incrível!

  • Paula Fonseca

    Mtooo legal!

  • Ingrid

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, muito boa a pesquisa, interessante como de certo modo as pessoas achavam naquela época que a solução para problemas das mulheres estava lá em baixo, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

  • Sidnei Vladisauskis

    Então o problema de “mal comidas” é antigos, hehehehe