Blogs

Veja cinco formas de reaproveitar garrafas PET

9 de abril de 2013

1. Porta-lápis


Essa dica é para ter em cima da escrivaninha ou mesa de trabalho um porta-lápis com design sustentável, que qualquer um pode fazer. Você vai usar a base e a parte superior de uma garrafa, e o “bico” de várias outras garrafas. O vídeo abaixo mostra direitinho como fazer:

2. Puff
Garrafas PET, papelão, durex, cola e espuma são os itens necessários para colocar o seu lado “decorador” para trabalhar. Com um pouco de habilidade, é possível fazer um “móvel” com cores diferentes e aproveitando retalhos de tecidos. O vídeo abaixo mostra o passo-a-passo para fazer o puff:

  3. Porta-trecos

Você vai precisar de dois fundos de garrafa PET cortados, um zíper de 20 centímetros e fio de nylon. O tutorial (em inglês) está disponível neste link. Mas pelas imagens já dá pra ter uma boa ideia de como fazer.

Ao final da página do link, há uma marcação chamada “construção auxiliar”. Ela vem com as marquinhas para auxiliar na costura do zíper na garrafa PET.

Após cortar os fundos das garrafas, cole o papel auxiliar com um durex e costure o zíper na PET. Depois de pronto, é só tirar o papel auxiliar.

A dica é não costurar toda a circunferência de uma vez. Antes, é importante “ajustar” o zíper de cima com o de baixo para terminar a costura.

A invenção é da designer Zitta Schnitt.

4. Luminária

A ideia é fazer uma luminária com garrafa PET e palha de milho – o que dá um efeito aconchegante para o ambiente. Além da garrafa PET, você vai precisar de palha de milho, cola branca, pincel, tesoura, estilete e base com soquete para lâmpada. A base pode ser feita por um marceneiro ou comprada em lojas de artigos para casa.

Uma dica importante é não usar lâmpada comum (incandescente), pois ela esquenta muito e pode derreter o plástico se usada por muito tempo. Opte pelas fluorescentes.

O passo-a-passo pode ser visto aqui.

5. Camisetas de PET

As garrafas também podem ser transformadas em fibras usadas na fabricação de roupas. A marca Camiseta Feita de PET é expert nesse processo.

Primeiro, as garrafas são lavadas e separadas por cores (para a indústria têxtil, são usadas apenas as garrafas sem cor). A PET é moída, fundida a 300ºC e filtrada para a retirada de impurezas.

Após a segunda fusão, o material derretido passa por uma máquina que o transforma em filamentos. “O resultado é uma fibra 20% mais fina que o algodão”, diz o site da empresa. As fibras são transformadas em fios de poliéster. A malha é produzida com 50% algodão e 50% poliéster.

Para conhecer mais (e comprar) veja aqui.

Comente!