ReCaptcha: o que você digita na internet pode ajudar a digitalizar livros

Por Atualizado em 02/09/2013

recaptcha

Até pouco tempo atrás, o Captchaa ferramenta anti-spam que nos obriga a digitar as palavras de uma imagem na internet – não tinha outra finalidade senão diferenciar computadores e humanos. Diariamente, cerca de 200 milhões de Captchas são resolvidos em, aproximadamente, 10 segundos cada. Isso significa que as pessoas perdem, todos os dias, mais de 550 mil horas com a tarefa – que não é lá das mais legais, não é mesmo?

Já que para garantir a segurança da web é preciso, de qualquer maneira, digitar as palavras, por que não aproveitar o esforço das pessoas para gerar algo bom, como digitalizar livros? Com essa ideia, nasceu o projeto ReCaptcha*, do guatemalteco Luis von Ahn – não coincidentemente, um dos criadores do Captcha.

Como o que você digita pode facilitar essa tarefa? Antes de responder a esta pergunta, é preciso saber que existe um processo automático que digitaliza livros. Porém, esse sistema não é à prova de falhas e, muitas vezes, não consegue reconhecer algumas palavras de obras mais antigas.

É aí que entra a sua ajuda. O ReCaptcha usa duas palavras:
– uma que conhece (assim julga se você é humano ou máquina) e
outra que não compreende.
Ao gastar apenas 10 segundos de seu tempo para decifrar a palavra, internautas de todos os cantos do planeta podem contribuir para o mundo ter mais livros digitais.

Estima-se que mais de 750 milhões de pessoas – aproximadamente 10% da população mundial – já tenham ajudado a digitalizar, pelo menos, uma palavra. Por dia, cem milhões de palavras são digitadas na ferramenta. O que equivale a 2,5 milhões de livros por ano!

Saiba mais sobre o projeto na palestra de von Ahn no TED, abaixo (em inglês, ou veja com legendas em português no site do TED):

*ReCaptcha

Leia também:
Leia mais (de graça) e “dê ao mundo” o seu livro favorito
O novo livro

  • http://SP paulo brito

    se ele não pode dizer que acertamos ou erramos ,como podemos dizer que ele não conhece a segunda palavra?eu só sei a primeira

  • nope

    eu já percebi isso de que tem uma palavra que eles entendem e uma que “serve pra nada”, e eu sempre digitava uma certo e pra outra eu escrevia qualquer coisa, agora que eu sei que isso serve pra digitalizar livros mau posso esperar pra ver um livro kldsjfn jnf jnkdjsa

  • Mona lIsa Inteligente

    Cara Mona Lisa… seja mais inteligente e ative as legendas no proprio menu do Youtube…

  • Kelly

    Que máximo! adorei saber disso… muito interessante!
    A tecnologia nos surpreende a cada dia

  • Alberto

    Ele diz na palestra Paulo, eles dão a mesma palavra(a que o sistema não reconhece) p/ por exemplo umas 10 pessoas reconhecerem, ae eles verificam se a palavra está correta pela média das respostas parecidas(pelo menos foi o q deu p/ entender)..já q nós fazemos milhares de downloads de graça, vale a pena ficar uns 10 segundos p/ reconhecer as palavras e ajudar no projeto!!!

  • Raquel

    Sendo assim, quero toda minha parte em bacon!

  • Deivid

    De carona já veio a explicação sobre o DUOLINGO. muito bom o vídeo, e as ideias do cara são melhores ainda.

  • Alessandro Valim Dos Santos

    Paulo, é só a primeira que é válida, a segunda vc pode digitar qualquer coisa

  • Gabriel

    Paulo, ele não sabe se você errou ou acertou, por isso ele mostra a mesma palavra para centenas de pessoas e com isso o algoritmo considera como aquela que teve o maior numero de ocorrencias

  • simone

    E qual o motivo de aparecer aquelas fotos de números de casa?

  • Danilo

    Cadê esses livros digitalizados? Acho boa a ideia mas não deveria ter um site com todos esses livros disponibilizados?

  • http://super.abril.com.br/blogs/planeta/recaptcha-o-que-voce-digita-na-internet-pode-ajudar-a-digitalizar-livros/?utm_source=+redesabril_jovem&utm_medium=facebook&utm_campaign=+redesabril_supe Pupo

    Palestra bem humorada e explicativa. Relamente nunca pensei que poderia haver algo como isso. De qualquer forma, é interessante perceber como alguém sempre sabe aproveitar uma ideia para desenvolver algo útil a partir de uma atividade relativamente ‘insignificante’ e simples como digitar palavras de verificação. Simplesmente brilhante!

  • Mona Liza

    Ótima informação.
    Mas… pela metade. Texto e vídeo deveriam usar o mesmo idioma, no caso, legenda.
    Isso enfraquece a matéria, pois o vídeo, para os que não entendem a língua inglesa, é imprestável.
    Estamos no Brasil, não temos obrigação (e nem escola pública) de saber outro idioma.
    É dessa forma que, aos poucos, perde-se leitores.

  • Laura Pedrosa

    Que incrível. Sério.

  • Tiago

    E nossa remuneração?

  • Thyago moncao

    Vídeo com legenda em portugês ……. é o mesmo cara do Duolingo ….

    http://www.ted.com/talks/luis_von_ahn_massive_scale_online_collaboration.html

  • Weslley

    Exelente ideia o ruim é quando encontramos palavras nada a ver e a gente tem pressa de fazer algo :/

  • Paulo

    Se ele não conhece a segunda palavra, como pode dizer que erramos ou acertamos?