Blogs

O Netflix finalmente chegou ao Brasil. Vale a pena assinar?

6 de setembro de 2011

Finalmente. Depois de anos de espera, o Netflix chegou ao Brasil. Ele é um serviço que permite ver filmes e programas de TV via streaming, e tem 25 milhões de assinantes nos Estados Unidos – é tão popular que, no horário nobre, chega a responder por 30% de todo o tráfego da internet por lá. Aqui, o Netflix chegou cobrando uma mensalidade de R$ 15, que dá direito a uso ilimitado. O serviço funciona nos consoles Wii, PS3 e Xbox 360 (extra-oficialmente, por enquanto), no Apple TV e no computador. Além disso, alguns tocadores de Blu-ray e TVs mais modernas já vêm com Netflix onboard. Mas e aí, vale a pena assinar? Vamos ver.

1. O Netflix não substitui a TV paga. Se você está pensando em cancelar sua Net, TVA, Sky ou similar, pode esquecer. Seja qual for a sua preferência, a seleção de vídeos do Netflix está longe de ser suficiente. Gosta de séries de TV? O Netflix tem Mad Men e Drop Dead Diva, por exemplo, mas não tem Breaking Bad ou The Big Bang Theory. Documentários? Você não vai encontrar nada da Discovery nem da NatGeo. Culinária, realities, variedades? São especialidades da programação Globosat, que o Netflix não oferece. E o acervo de filmes também não inclui nada muito recente.

2. E não tem como competir com a internet. O Netflix oferece as mesmas coisas que você encontraria na sua locadora de bairro, tirando os lançamentos. Isso significa uma defasagem considerável, de pelo menos 1 ano (e em alguns casos bem mais), em relação ao que está disponível para download via BitTorrent. Ok, torrent é pirataria, mas é uma realidade – que seus adeptos só irão abandonar quando houver uma boa opção legalizada, como a iTunes Store é nos Estados Unidos. O Netflix não é essa alternativa.

3. Mas vale sim a assinatura. Sabe aqueles filmes e séries que você queria ver, mas acabou esquecendo? O Netflix é perfeito para isso. Seu acervo está cheio de coisas boas e que merecem ser descobertas ou revistas. Por exemplo: eu nunca tive paciência de assistir a Mad Men, mas comecei a ver no Netflix – e gostei. Navegando pelos filmes, fiquei com vontade de rever clássicos como Faça a Coisa Certa e Curtindo a Vida Adoidado e também reparar umas falhas culturais (não me xingue, mas ainda não vi a trilogia Poderoso Chefão). O Netflix serve pra isso. É um serviço para quem gosta de fuçar e descobrir novos filmes. Para aquele dia de chuva em que bate uma vontade de assistir Stuart Little - ou Sexo, Mentiras e Videotape. É como ter uma locadora de bairro em casa. Modesta, mas com várias coisas legais.

4. Só precisa corrigir um problema. R$ 15 é bem aceitável pelo que o Netflix oferece. E o primeiro mês é gratis, então realmente vale a pena experimentar. A qualidade de imagem é bem boa, desde que você tenha internet rápida. Eles recomendam 3 Mbps – mas em testes com uma conexão de 5 Mbps, tive alguns percalços durante o streaming em SD para o Wii (o vídeo nunca trava, mas às vezes perde definição e fica meio borrado). Mas o grande problema, mesmo, é que muitos dos vídeos são dublados – e isso não fica claro durante a navegação. Imagine o desgosto ao começar a ver The Office ou Scarface e descobrir que é dublado (Scarface tem uma dublagem ridícula, a la Hermes & Renato).

Todos os vídeos têm de oferecer as opções legendado e dublado. É o mínimo que se espera de um serviço de streaming moderno. O Netflix precisa corrigir urgentemente a falha. Se fizer isso, e também adicionar filmes e séries de vez em quando, tem tudo para dar certo.

Comente!