Blogs

Teste revela qual celular quebra mais fácil, iPhone ou Galaxy. Veja o vídeo

30 de abril de 2013

A experiência, que foi conduzida pela empresa americana Square Trade, consistiu em jogar os aparelhos no chão, medir quão escorregadios eles são e mergulhá-los dentro d’água. O iPhone 5 foi comparado a dois modelos da Samsung, Galaxy S3 e S4. E foi o que sofreu menos danos na queda – até porque sua tela é a menor, e portanto menos frágil. Vale lembrar que, se o teste envolvesse também o iPhone 4, o resultado provavelmente seria outro (nesse modelo da Apple a traseira é de vidro, bastante suscetível a impactos). Incrivelmente, todos os aparelhos sobreviveram à submersão – o S3 foi o único a sofrer uma sequela, perder o áudio. O teste não pode ser considerado científico (para que fosse, seria preciso usar várias unidades de cada modelo e calcular uma média dos resultados), mas é interessante. Não tente fazer em casa.


Google Now ganha versão para iPhone

29 de abril de 2013


O Google Now, aquele serviço que analisa o seu dia-a-dia e mostra informações relevantes em tempo real, já estava disponível para os usuários de Android (4.1) há quase um ano. Agora, ele está chegando ao iPhone e ao iPad: no novo aplicativo do Google para iOS, que está sendo lançado hoje. O Google Now vigia tudo o que você faz (onde você vai, como vai, quanto tempo fica nos lugares), e a partir daí exibe dados que considera úteis – se você vai a um ponto de ônibus, por exemplo, ele diz quantos minutos o seu ônibus vai demorar para passar. Também reúne informações sobre trânsito, esportes, horários de avião, restaurantes e outras coisas relevantes ao seu redor – e mostra tudo automaticamente, sem que você precise pedir.

O Google Now ainda não funciona plenamente no Brasil, pois não mostra todos os dados que poderia. E ele gasta mais bateria do celular, pois fica rodando em segundo plano o tempo todo. Mesmo assim, é um serviço interessante e futurista, que vale a pena experimentar. Seu lançamento indica que a rixa entre Apple e Google parece estar ficando para trás.


Sucessor do Xbox será mostrado em 21 de maio; Apple confirma novo iOS para junho e fala em “novos tipos de produto”

24 de abril de 2013


A Microsoft acaba de convidar a imprensa dos EUA para a apresentação oficial do novo Xbox: que será dia 21 de maio, na sede da empresa em Washington. Depois que a Sony fez a primeira (e impressionante) exibição do PlayStation 4, em fevereiro, cresceu a expectativa pela resposta da Microsoft. E ela está confirmada.

Os novos consoles deverão ser os principais lançamentos do ano; mas não serão os únicos.
A Apple também acaba de se manifestar, confirmando para dia 10 de junho a apresentação das novas versões do iOS e do Mac OS X. E numa conferência com acionistas da empresa, o CEO Tim Cook fez uma referência a “novas categorias de produto”, o que sugere que a Apple vá mesmo lançar algo que hoje não produz -e que poderá ser um relógio ou uma televisão.


Microsoft se prepara para recuar – e deverá permitir volta ao visual clássico do Windows

22 de abril de 2013


O Windows 8 é polêmico. Sua interface gráfica, desenvolvida para tablets, não é ideal
para desktops e laptops – no mínimo, é muito diferente do que as pessoas estavam acostumadas. Por isso, o sistema tem recebido uma saraivada de críticas de usuários e da imprensa. E, depois de quase um ano negando esse fato, a Microsoft pode estar se preparando para recuar. A próxima versão do Windows 8, que deve se chamar 8.1 e será lançada nos próximos meses, supostamente permitirá que você desligue a nova interface - e também trará de volta o botão Iniciar. Na prática, o Windows 8 voltaria a ser como o Windows 7.

As mudanças serão opcionais, ou seja, terão de ser ativadas pelo usuário (o Windows 8 continuará vindo de fábrica com a cara atual). Mas, se confirmadas, representarão uma grande mudança de postura da Microsoft – que estará deixando de forçar as pessoas a aceitar algo que muitas delas não querem. Uma boa demonstração de sensatez.


Sony lança serviço de internet mais rápido do mundo – e 34 vezes mais barato que a banda larga no Brasil

16 de abril de 2013


O serviço, que está sendo lançado no Japão, promete velocidade média de 2 Gbps (download) e 1 Gbps (upload). Para se ter uma ideia do que isso representa, é velocidade suficiente para baixar um filme em alta definição, com 1,4 GB, em menos de seis segundos. O preço também é bastante atraente: o serviço custará o equivalente a US$ 51 mensais. Isso significa que o consumidor estará pagando aproximadamente US$ 0,025 por megabit de velocidade. No Brasil,
a banda larga mais barata custa US$ 0,85 por megabit. Trinta e quatro vezes mais.