Superinteressante

Super 25 anos!
Super 345 - Falta de sol e a polêmica da vitamina D Por anos, o sol foi um vilão da saúde, e aprendemos a nos esconder dele. Hoje, mais da metade da população tem níveis baixos de vitamina D. E isso pode estar ligado ao aumento nos casos de depressão, câncer e outras doenças.

Assine a Super

Blogs

Microsoft cria software que prevê onde você vai estar – daqui a até dez meses

19 de julho de 2013

far out
O programa, que se chama Far Out e foi criado por dois pesquisadores da Microsoft, promete adivinhar em qual lugar uma pessoa estará – com meses de antecedência. Para desenvolver o software, os cientistas distribuíram localizadores GPS para 307 pessoas e 396 veículos, cujos passos foram registrados minuciosamente e formaram uma base de dados gigantesca, com 150 milhões de pontos. Essas informações foram analisadas pelo Far Out, que, a partir daí, elaborou teorias capazes de prever o comportamento futuro de uma pessoa – com até 93% de acerto.

Segundo seus inventores, o programa poderá sugerir ofertas (“daqui a quatro dias, você vai cortar o cabelo. Quer um desconto?”), propor lugares para você encontrar seus amigos e também poderá ser usado em planejamento urbano – adivinhando como estará o trânsito ou qual será a demanda por eletricidade ou remédios em determinada área, por exemplo.

O software é um projeto de pesquisa (PDF), sem data de lançamento. Além disso, para que ele comece a adivinhar as coisas, precisa primeiro monitorar a pessoa durante algum tempo – o que, presumivelmente, só poderia fazer com o consentimento dela. Ou não (em 2011, descobriu-se que o iPhone registrava secretamente a localização do dono).


Você usa Android? O governo dos EUA lê as suas mensagens de texto – e sabe a senha do seu Wi-Fi

18 de julho de 2013

obama
O Android tem uma função, chamada “Back up my data”, que é muito prática. Ela salva automaticamente, nos servidores do Google, vários dados do seu celular: mensagens de texto, registro de ligações telefônicas, bookmarks do navegador, nomes e configurações dos seus aplicativos e senhas das redes Wi-Fi que você usa. Isso é bom porque, quando você trocar de aparelho, não precisará instalar e configurar tudo de novo – bastará digitar sua senha do Google, e todas as informações serão baixadas para o telefone novo.

Mas também há um lado ruim. Essas informações são armazenadas pelo Google sem criptografia (codificação de dados) – e podem ser facilmente acessadas pelo FBI e pela NSA, a agência de espionagem do governo americano. O recurso já vem ativado de fábrica em alguns aparelhos, mas não todos. Se você quiser saber qual é o estado do seu, entre no menu de configurações do Android e procure a opção “Backup & reset”. Se o backup automático estiver ativado, aproveite e mande um alô para as autoridades dos EUA.

ps: ao contrário do que acontece no Android, os backups do iOS são criptografados.


Computador alcança a inteligência de uma criança de 4 anos

17 de julho de 2013

hal-9000
Cientistas da Universidade de Illinois aplicaram um teste de inteligência ao ConceptNet, um sistema de inteligência artificial desenvolvido pelo MIT – e o software teve o mesmo desempenho de uma criança de quatro anos de idade. O feito é ao mesmo tempo incrível e decepcionante, porque ilustra bem como tem sido difícil progredir no campo da inteligência artificial. Mesmo após décadas de tentativas, nas quais houve um aumento exponencial do poder de computação disponível no mundo, continuamos muito distantes de conseguir criar uma entidade realmente inteligente, que seja capaz de raciocinar como um humano.


Google subornou programa que bloqueia anúncios na internet

15 de julho de 2013

adblock
Talvez você já tenha ouvido falar do AdBlock Plus. É um acessório, para os navegadores Firefox, Chrome e Safari, que elimina os banners publicitários dos sites. Permite navegar na internet sem ver propaganda, e já foi baixado mais de 200 milhões de vezes. Mas quem usa esse plug-in está dando um tiro no próprio pé. Grande parte da internet, de gigantes como o Facebook a portais de notícias e sites independentes, é sustentada por publicidade. Sem anúncios, esses sites e serviços online teriam de ser custeados pelo próprio consumidor. Você teria de pagar – ou a maior parte deles deixaria de existir. Em suma, usar bloqueador de anúncios não é legal.

Isso sempre se soube. A novidade, veja só, é que os criadores do AdBlock aceitaram receber suborno de empresas - para que os anúncios delas não fossem bloqueados. A iniciativa se chama “anúncios aceitáveis” (acceptable ads) e, segundo seus criadores, se destina a liberar anúncios que “não sejam irritantes”. O problema é que essa liberação envolve dinheiro, e alguns anunciantes, entre eles o Google, aceitam pagar para furar o bloqueio.

Você pode conferir isso com os próprios olhos; basta instalar o plugin e perceber que certos anúncios, como os do Google, continuam aparecendo (enquanto outros, como do buscador Bing, da Microsoft, somem). O usuário pode desabilitar os “anúncios aceitáveis” – mas a grande maioria nem toma conhecimento disso.

O AdBlock tira a receita publicitária dos sites; e aí se dispõe a devolvê-la em troca de pagamento. Uma tática mafiosa – e mais um motivo para não usar bloqueadores de anúncios.

Update 18/07: questionado a respeito, o Google admitiu a prática. E disse que “o conteúdo de qualidade e produtos na internet precisam ser subsidiados, seja por publicidade ou assinaturas pagas, ou deixarão de existir”.


Google Maps ganha nova versão para Android – com algumas melhorias e uma novidade ruim

10 de julho de 2013


O novo aplicativo, que começa a ser distribuído hoje, tem uma cara bem diferente, mais moderna e organizada. Segundo o Google, também há melhorias no sistema de rotas, que sugere alternativas de forma mais fácil e pode até recalcular automaticamente o trajeto se detectar algum problema de trânsito (como um congestionamento causado por um acidente, por exemplo). Esse é o lado bom. O novo Maps parece bacana.

O lado ruim é que não existe mais a opção “Salvar mapas off-line”, que permitia gravar mapas e usá-los mesmo sem conexão 3G. Era bem útil. O Google diz que ainda é possível salvar os mapas recorrendo a um truque: supostamente, basta digitar “okay maps” no campo de busca, e o mapa que estiver aberto na tela será gravado para uso offline.