Blogs

A parceria Nokia-Microsoft é um bom negócio. Para ambas

11 de fevereiro de 2011


A empresa finlandesa acaba de anunciar uma decisão bombástica: vai adotar o sistema operacional Windows Phone 7, da Microsoft, na sua linha de smartphones. A novidade é de dar calafrios nos fanboys da Nokia, mas parece fazer sentido. Para a Nokia, é bom negócio: ela ganha acesso a um sistema operacional moderno (adeus, Symbian), com um ecossistema de aplicativos razoável. Para a Microsoft, também é bom negócio: pois a Nokia tem tradição em hardware, e certamente será capaz de desenvolver um celular que mostre as qualidades do Windows Phone 7. Se der certo, a parceria coloca a Nokia em totais condições de brigar com a Apple pelo segmento de smartphones top de linha. Já com o Android, a luta é mais difícil. A plataforma do Google está muito embalada, com vários fabricantes lançando aparelhos bons e baratos. De toda forma, a notícia é boa. Mostra que a Nokia ainda está viva.


Vendas fracas matam a série de jogos Guitar Hero

10 de fevereiro de 2011


Em meados de 2009, a SUPER publicou uma nota (editada por mim) sobre a ascensão dos games de música – que haviam dominado a indústria, e já ultrapassavem em popularidade os títulos de esporte. Mas agora, pouco mais de um ano depois, tudo mudou: citando vendas fracas, a produtora Activison resolveu acabar com a série Guitar Hero. Não é a extinção definitiva das guitarrinhas de plástico, pois a franquia Rock Band continuará existindo. Mas sinaliza o fim de um ciclo. Em 2011, tocar instrumentos de brinquedo já não parece tão divertido. Snif, snif.


Novo iPad será mais leve – mas não terá a tecnologia Retina Display

9 de fevereiro de 2011

É o que diz o Wall Street Journal de hoje. Segundo o jornal, a próxima versão do iPad já está na linha de montagem (lógico), será mais leve (lógico), virá com câmera e processador mais rápido (faz sentido). Mas não terá, como muita gente esperava, a tecnologia Retina Display – uma tela de altíssima densidade, já usada no iPhone.

Tecnicamente, parece impossível mesmo. Para colocar a tecnologia Retina Display no iPad, a Apple precisaria fabricar uma tela com uma resolução absurda: 2560×1920 pontos. É mais do que um monitor LCD de 27 polegadas, numa telinha de 9″. Mesmo que seja possível produzir essa tela, e com custo aceitável, não existe nenhum chip de vídeo capaz de gerar tantos pixels, 4,9 milhões deles, num dispositivo portátil – só as placas de vídeo mais turbinadas, que só servem em desktop (geram calor suficiente para derreter o iPad), atingem esse patamar.

Então o iPad com Retina Display não vai rolar por enquanto. Se bem que, em se tratando de Apple, nunca é bom descartar nada. A resposta definitiva só virá em maio ou junho, que é para quando está previsto o lançamento da nova versão do iPad.


Kindle ganha a própria rede social – e livros com páginas numeradas

8 de fevereiro de 2011

A Amazon acaba de liberar para download uma atualização de software para o Kindle, com duas novidades interessantes. A primeira é o recurso Public Notes, que permite compartilhar com outras pessoas as anotações que você fizer nos livros. Dá para indicar passagens bacanas, fazer comentários, trocar ideias sobre os livros com outros usuários. Tudo será coordenado por uma mini-rede social, na qual você poderá seguir pessoas e ser seguido (veja um exemplo na imagem acima). A ideia é boa, mas só o tempo dirá se vai vingar – ou fracassar como a Ping, aquela rede social de música que a Apple incluiu no iTunes.

A outra novidade do Kindle é mais prosaica, mas talvez até mais útil: com a atualização, os livros passam a ter páginas numeradas da maneira tradicional, ou seja, 1, 2, 3, 4 etc. É muito melhor do que a notação atual, que usa linguagem de robô (os livros são divididos em trechos como “Location 430 of 7364″), e tornará mais fácil citar e comparar trechos de livros – inclusive com pessoas que não forem usuárias do Kindle. A atualização ainda é beta, ou seja, sujeita a bugs. Mas, se você quiser experimentá-la, basta acessar este link da Amazon.


Jornal do iPad já tem versão pirata

7 de fevereiro de 2011

Sabe o Daily, o primeiro jornal projetado especialmente para o iPad, que custou mais de US$ 30 milhões e foi lançado na semana passada pelo magnata das comunicações Rupert Murdoch? Já tem uma versão pirata: o site The Daily Indexed, onde você pode ler todas as matérias do jornal sem pagar.  A versão pirata explora uma brecha no funcionamento do Daily. Os assinantes do jornal podem enviar matérias por e-mail para seus amigos – eles recebem um link que, quando clicado, leva até uma página da internet que contém aquele texto. Todas as matérias do Daily estão copiadas na web dessa forma. Mas com um porém: seus endereços (URLs) estão escondidos. Não existe um site em que você possa navegar pelo conteúdo do jornal. Você só tem acesso às matérias que receber dos seus amigos assinantes.

A ideia de Murdoch era permitir algum compartilhamento de conteúdo, e com isso promover o jornal, sem liberar todo o conteúdo de graça na internet. Não durou muito. O programador e jornalista Andy Baio escreveu um script que captura automaticamente todas as matérias, e joga no The Daily Indexed. Ele diz que a prática não é ilegal, mas acredita que a News Corporation, dona do jornal, possa tomar medidas para tentar impedi-la.