Os 10 países mais novos do mundo

Por Atualizado em 18/11/2011

O que é preciso para que um território seja considerado um país? Depende. Os critérios variam, mas estão quase todos concentrados na política. É por motivos políticos que Taiwan ainda é parte da China e são entraves políticos que impedem que a Palestina seja considerada um Estado autônomo. Aprendemos na escola que “país é um conjunto de pessoas que vivem no mesmo território e compartilham dos mesmos traços culturais”. Se dependesse desses critérios, teríamos que decorar as bandeiras e capitais de centenas de outros países que brotariam mundo afora. É possível que até mesmo o Brasil se desmantelasse em vários outros países.

Por causa de várias mudanças no cenário geopolítico dos últimos 20 e poucos anos, dezenas de novas fronteiras surgiram no mapa. A mais recente aconteceu ainda este ano. Para você não se perder mais nas aulas de geografia e nas discussões de boteco, a SUPER preparou uma lista com os 10 países mais novos do mundo.

10. Macedônia (1991-1993)

Alguns anos depois do final da Segunda Guerra Mundial, o político Josip Broz Tito foi nomeado presidente vitalício da Iugoslávia socialista, uma região dividida por diversas etnias e traços culturais distintos. Depois que Tito morreu em 1980, cresceu a tensão interna na Iugoslávia. Ao longo de toda a década, os movimentos separatistas ganharam força. Em setembro de 1991, a Macedônia declarou independência, mas uma série de outros problemas estava por vir. Primeiro, foi a oposição da Grécia, que só aceitou a independência diante da ONU quando o país adotou o nome de Antiga República Iugoslava da Macedônia. Aliás, só a partir de 1993 a ONU passou a considerar a Macedônia oficialmente um país. É por isso que, apesar de ter se tornado independente antes de outros países que não estão incluídos nesta lista, a Macedônia aparece em 10º lugar.

9/8. República Tcheca (1993) / Eslováquia (1993)

A Tchecoslováquia foi criada em 1918, a partir da dissolução do Império Austro-Húngaro. Depois de décadas de socialismo, o país se abriu para a democracia em novembro de 1989, acompanhando a decadência do regime. A abertura resultou na separação pacífica no país, que deu origem a dois territórios com traços culturais diferentes: a República Tcheca e a Eslováquia. Os países passaram a existir oficialmente no dia 1 de janeiro de 1993.

7. Eritreia (1993)

Depois de ser colônia da Itália por seis décadas, a Eritreia passou a fazer parte da Etiópia em 1952. Bom para a Etiópia, já que o território era rico em recursos minerais. Mas, para os eritreus, o acordo não funcionava. A população reclamava com a falta de respeito com a cultura local e se uniu em um movimento separatista que lutou por 30 anos contra os governos etíopes. No início dos anos 1990, a ONU promoveu um referendo em que os eritreus optaram pela independência. O reconhecimento internacional veio em 1993.

6. Palau (1994)

Palau fazia parte do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas, um conjunto de ilhas administrado pelos Estados Unidos depois do final da Segunda Guerra Mundial. Em 1986, os EUA assinaram um tratado que reconhecia a autonomia interna de três países na região (falaremos dos outros dois ao final da lista). Entretanto, só em outubro de 1994 Palau conquistou a independência formal e deixou de seguir as leis norte-americanas.

5. Timor-Leste (2002)

O Timor-Leste, colônia portuguesa, tornou-se independente de Portugal em 1975. Mas três dias depois, o país foi invadido e anexado ao território da Indonésia. Só em 2002 o novo processo de independência chegou ao fim, três anos depois de um referendo organizado pela ONU em que 80% da população defendeu o desligamento. Timor-Leste foi o primeiro país nascido no século 21. Curiosidade: por lá, fala-se português. 😉

4/3. Sérvia (2006) / Montenegro (2006)

Este é mais um capítulo da novela da separação da Iugoslávia. Em 1992, Sérvia e Montenegro foi um dos países que nasceram com a dissolução da nação iugoslava. Entretanto, 14 anos depois, movimentos separatistas criaram a necessidade de um novo referendo, que fez com que a nação se separasse. No dia 3 de junho, Montenegro se tornou um país independente. Dois dias depois, a Sérvia se consolidou como nação autônoma. A história continua no próximo item.

2. Kosovo (2008)

Depois que Montenegro se separou da Sérvia, a província autônoma de Kosovo – uma das duas ainda integradas ao território Sérvio (a outra é a Voivodina) também decidiu se separar. Em fevereiro de 2008, o Kosovo declarou independência, após anos de conflitos separatistas violentos. O problema é que a independência nunca foi reconhecida pela Sérvia. Portanto, ainda há controvérsias se o segundo país mais novo do mundo é, de fato, um país.

1. Sudão do Sul (2011)

Você provavelmente ouviu falar do nascimento do Sudão do Sul, a nação mais recente do mundo, em 2011. Em janeiro deste ano, 98% da população optou pela independência em um referendo. Em 9 julho, o país passou a existir oficialmente. Muita gente foi pega de surpresa, mas a movimentação separatista da região é muito antiga. Há séculos, minorias étnicas africanas são obrigadas a conviver dentro das mesmas fronteiras graças ao desenho arbitrário das linhas políticas imperialistas. Mas há um acordos diplomáticos internacionais que impedem a criação de novas fronteiras no continente e transformam quase todas as tentativas separatistas em guerras em potencial.

Quem sabe, a independência pacífica do Sudão do Sul pode abrir precedentes para outros movimentos separatistas que ainda provocam conflitos na Somália, na Angola e no Marrocos.

 

Outros 23 países criados (ou unificados) recentemente mundo afora:

Em março de 1990, a Namíbia conquistou independência da África do Sul. No mesmo ano, dois países se unificaram para formar o Iêmem em maio e a Alemanha voltou a ser uma só em outubro, com a queda do Muro de Berlim e o fim da Guerra Fria.

Com o rompimento da União Soviética, entre maio e dezembro de 1991, Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Estônia, Geórgia, Cazaquistão, Quirguistsão, Letônia, Moldávia, Lituânia, Rússia, Tadjiquistão, Turcomenistâo, Ucrânia e Uzbequistão entraram na lista oficial de países.

Em 17 de setembro de 1991, as Ilhas Marshall e a Micronésia, dois territórios que faziam parte do Protetorado das Ilhas do Pacífico das Nações Unidas, também se tornaram independentes.

Além dos estados já citados na lista, a dissolução da Iugoslávia também deu origem à Eslovênia e à Croácia em junho de 1991 e à Bósnia e Herzegovina em março de 1992.

Ilustração e design: Daniel Lazaroni Apolinário

  • http://brasil jonata martins

    e a palestina

  • Raul

    Legal, acho que desde avaliados, os países podem obter uma independência e sinceramente o Sudão foi esperto de ter largado o Sudão do Sul, ter uma população doente não tá com nada, acho que o mesmo deveria acontecer com o Brasil, ele se dividisse em Sul, Centro-Norte sem Brasília, Nordeste com Norte de Minas, Resto de Minas e do Espirito Santo com Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, iria ser muito engraçado ver todas esses países se desenvolverem sozinhos, iria ser uma mistureba total, os nomes poderiam ser Brasil do Sul, Brasil do Norte, Bahia, Estados Unidos das Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, mas tenho dúvidas, o Brasil do Sul, Minas, São Paulo e Rio de Janeiro iriam se desenvolver melhor, em compensação o Brasil do Norte e o Nordeste não tem muitas condições, iria ser um teste de desenvolvimento, se isso não acontecesse eu acho que pelo menos uma administração independente como a dos Estados Unidos iria ser suficiente para o desenvolvimento do país.

  • http://onlycomputerbrasil@hotmail.com Sandro Nunes

    O Sudão do Sul foi separado e abandonado, o lado norte queria a separação porque o Sul era um fardo a ser carregado,muita pobreza,doença e guerra, por isso preferiram separar do que cuidar daquela gente, o Sudão do Sul está com grandes dificuldades ,todo mundo perdido,tendo que refazer documentos,arrumar um novo lugar pra ficar,uma bagunça só…

  • http://google.com k’rol

    Já conheço metade desses países.
    Acho que ñ existe país novo, tipo, sempre existiu sóh q na verdade estáh conheçcido agora.
    Intende

  • Michelle

    Gente, e Trinidad e Tobago, não viraram dois países diferentes?

  • Thais

    Otavito, de onde vc tira essas coisas ? ehhehe dorei!

  • Michael Vinciio

    Servia e Montenegro estão invertidos…
    A Servia é o pais maior, que se localiza à direita!
    Montenegro o menor, canto inferior esquerdo!

  • leticia alexandre

    muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuiiitoo LG eu não reparei nada de
    diferente viu

  • Flávio Campos

    Vocês esqueceram a República Democrática do Congo criada em 1997 e que antes foi Zaire e Congo. Corrige aí. 

  • http://6652056 isa\

    oi

  • Adrianne

    Rafael: Na verdade ela errou no mapa da Sérvia e Montenegro, que estão invertidas. A República Checa e a Eslováquia estão certas.

    Tirando esse errinho, ótimo postagem, parabéns ^^

  • Rafael

    mto legal essa lista…

    só um detalhe, Republica Tcheca e Eslovaquia estao invertidos naquele mapa…oq é um é outro e q é outro é um…

    abçs

  • WAGNER SILVA

    ESTA CERTO MESMO, NINGUEM É OBRIGADO A PERTENCER UM PAÍS SE Ñ QUISER, ESPERO Q UM DIA SÃO PAULO VENHA A SER MAIS UM PAÍS.

  • JOSE CARLOS

    no item 9/8, os nomes estão trocados. a tchéquia fica a esquerda e a eslováquia fica a direita e não como mostra a figura.

  • Leonel

    “Coincidentemente”, o texto prefere colocar a culpa dos conflitos étnicos nas “potências imperialistas”, não falando sobre o real motivo do movimento separatista que culminou na independência do Sudão do Sul, que é a perseguição às minorias no agora Sudão do Sul, e também em Darfur, feitas pelo governo MUÇULMANO de Cartum, que culminou em m dos maiores massacres dos últimos 20 anos, com mais de 300 mil pessoas assassinadas.