GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Cientistas descobrem (de novo) planeta que pode abrigar vida

40% maior que a Terra, LHS1140b pode ser nossa melhor chance de encontrar vida

A gente sabe, falar que um novo planeta foi descoberto não é exatamente uma novidade. Só na SUPER a gente já falou sobre isso nessa, nessa e nessa ocasião (apenas pra citar alguns exemplos). Mas isso não tira a importância dessas descobertas, principalmente da que vamos explicar agora. Afinal, o novo planeta do nosso mapa é um dos que tem mais chance de abrigar vida fora da Terra.

O planeta é chamado de LHS1140b, e assim como os planetas descobertos pela Nasa na região de TRAPPIST–1, em fevereiro, ele está a 39 anos-luz daqui (aproximadamente 368 trilhões quilômetros da Terra). Não se assuste com o numerão: isso é relativamente perto. Torna possível, por exemplo, uma exploração utilizando sondas. Não à toa, esse é exatamente o plano: a Nasa está planejando lançar no ano que vem o Telescópio Espacial James Webb, e a nova descoberta, que possui 140 vezes o tamanho da Terra, já se tornou um dos destino favoritos para a missão. O objetivo da expedição não tripulada é estudar exoplanetas, aqueles que não orbitam o nosso sol – e que poderiam abrigar vida.

“Esse é o exoplaneta mais empolgante que eu vi na última década. A descoberta está ainda melhor localizada do que os planetas de TRAPPIST–1, ou de Próxima b”, afirmou Jason Dittmann, astrônomo do Centro Atrofísico Harvard-Smithsonian e pesquisador chefe do estudo. “Dificilmente dá para esperar um alvo melhor para explorar uma das maiores questões da ciência: a busca pela vida fora da Terra.”

As chances de encontrarmos algum tipo de vida lá são boas. Isso se deve, basicamente, à localização do planeta. Ele fica no que cientistas chamam de “zona habitável”: a distância entre o planeta e a estrela mais próxima (que nesse caso chama LHS1140 – sem o “b”) permitiria que ele mantivesse água em sua superfície, caso exista uma atmosfera no planeta.  Isso não significa, porém, que o planeta está longe daquele sol que chama de seu. Na verdade, LHS está 10 vezes mais perto de sua estrela do que a Terra está do Sol, mas sua radiação é menor, de modo que nossos novos vizinhos recebem metade da luz solar que nós aqui na Terra.

Se tudo der certo, em pouco tempo teremos menos notícias sobre qual será o primeiro planeta com vida fora de Terra – e mais sobre quem são os habitantes de lá. A nova aposta do meio científico? São os LHS-1140-bianos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Cristian Santos

    Não fiquei surpreendido com a notícia, pois sempre há notícias desse assunto. Até hoje, não houve um grande avanço, mas acredito sim, que futuramente algo do tipo possa acontecer, como encontrar vida fora da terra.

    Curtir

  2. Joana Santos

    A notícia não é de se surpreender tanto, porque já ouvimos muito cientistas falar sobre a possibilidade de existir outras vidas em diferentes planetas e nada disso se concretiza!

    Curtir

  3. Sinceramente não acredito muito que isso irá acontecer. Já ouvimos tanto que os cientistas falam de outro planeta para se viver, mas nada demais acontece. Não tem nenhuma evolução! Além da notícia não me convencer, eu não leria, pois não chamou nem um pouco a minha atenção.

    Curtir

  4. Deveriam abordar assuntos mais interessantes, pois só o titulo que chama a atenção.A noticia em si é entediante e complicada de entender.

    Curtir