Por que amamos?

Com a palavra, três especialistas

Por Bruno Vieira Feijó

Por que amamos?iStock | pixdeluxe

Helen Fisher

Antropóloga da Universidade Rutgers, EUA, autora do livro Why we love? - the nature and chemistry of romantic love ("Por que amamos? - a natureza e a química do amor romântico").

Porque somos biologicamente programados para amar. A necessidade de procriar é tão poderosa quanto a de se alimentar ou dormir, criando no cérebro uma energia dramática que abastece 4 sentimentos básicos: paixão, obsessão, alegria e ciúme.*

Frei Betto

Teólogo, escritor e ideólogo da teologia da libertação.

Porque fomos criados pelo Amor. Estamos apenas refletindo um atributo do nosso Criador, pois sem receber esse sentimento, nunca poderíamos manifestá-lo. Amamos porque é o fato de sairmos de nós mesmos que nos devolve ao que há de melhor em nós. Em tudo que fazemos, até o mal, buscamos ansiosamente o amor.

Dom Miguel Ruiz

Escritor mexicano, propagador da filosofia dos toltecas, povo que vivia na América antes da chegada dos astecas, e que defende o esforço de olhar o mundo de modo consciente.

Só amamos quando não temos o amor dentro de nós. E daí procuramos o amor de outros seres humanos que também não se amam e, por isso, estão à caça do amor. No fim, as pessoas não têm o amor de que precisamos, só nós mesmos.

 

*Trecho retirado do livro Why We Love?, EUA, 2005