Qual é o futuro da música?

Por Redação Super

Edição
275
Fevereiro de 2010

"Quase todo mundo concorda que a moeda de troca para a música gravada será a atenção dos fãs. Se um artista atrair atenção, será capaz de vender ingressos para os seus shows, licenciar músicas para trilhas sonoras e ganhar dinheiro com patrocínios."

Mike McCReady, empreendedor, cocriador do selo Polyphonic HMI.


"Nenhum modelo único irá funcionar para todo mundo. Mas há espaço para todos nós. Alguns artistas são a Coca e a Pepsi da música, enquanto outros são o vinho fino - ou aquela estranha cachaça de fundo de quintal. E isso é legal."

David Byrne, músico, fundador do Talking Heads, pioneiro do rádio online e inovador inveterado.


"Os artistas e seu público, esses continuarão se procurando e se achando, por afinidade, por interesse - com ou sem intermediários, que são importantes e realizam os sonhos. O disco poderá ser substituído por outros ramalhetes ou maços de canções."

Pena Schmidt
, produtor musical.