Manual

Como escolher o assento no avião

Não tem lugar perfeito. Mas dá pra evitar alguns probleminhas. Faça a sua escolha e siga as cores da SUPER

por Cristina Luckner

O mais cobiçado

A primeira fileira é uma boa - não tem passageiro da frente para espremer você. E ainda dá a chance de você sair primeiro do avião. Mas é reservada para crianças ou portadores de necessidades especiais, e fica bloqueada para reserva até o dia da viagem. O jeito para consegui-la é pedir à companhia que deixe seu nome numa lista de espera. Ou chegar bem cedo no check-in para pedir o lugar.


Os mais frios

Evite assentos próximos às portas de entrada e de emergência se não quiser passar frio. Apesar de as portas serem seladas, esses pontos são mais vulneráveis à temperatura negativa de fora.


A melhor vista

Você só vai apreciar a vista se estiver sentado à frente das asas. A configuração das poltronas muda de acordo com a aeronave, mas fique no máximo na fileira 7 para garantir o passeio.


Os mais barulhentos

Na região das asas, o motor ronca mais alto - é lá que ele fica. Evite-a se quiser silêncio.


Os mais espaçosos para as pernas

A saída de emergência dá ao passageiro um espaço 23% maior, em média, do que as outras poltronas. Mas ela só pode ser reservada no dia da viagem, igual à primeira fila.


Os mais seguros

Os assentos do fundão têm a maior probabilidade de sobrevivência em caso de acidente: 69%. Na frente, área mais perigosa, a chance é de 49%.


Pegadinha!

Na primeira fileira e na saída de emergência, os bancos reclinam menos e os braços da poltrona são fixos (não podem ser erguidos).


Os mais espaçosos para a bagagem

Escolha assentos nas últimas fileiras. Em alguns voos, entra primeiro no avião quem vai ficar no fundão. Se a primeira leva de passageiros tiver muita bagagem, o resto sofre pra achar um bagageiro vago.


Fontes Civil Aviation Authority (Inglaterra); comandante Ronaldo Jenkins, diretor-técnico da Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias; Gol; Matthew Daimler, fundador do site SeatGuru; Paulo Bittencourt Sampaio, consultor da Multiplan em aviação; TAM.

publicidade

anuncie

Super 339 - Humanos: caem as fronteiras entre nós e os animais Novas descobertas deixam claro: chimpanzés têm idiomas, cultura, fazem política, tecem redes sociais e praticam caridade. Chegou a hora de conferir direitos humanos a eles? Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 339
novembro/2014

Humanos: caem as fronteiras entre nós e os animais
Novas descobertas deixam claro: chimpanzés têm idiomas, cultura, fazem política, tecem redes sociais e praticam caridade. Chegou a hora de conferir direitos humanos a eles?

- sumário da edição 339
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Cotidiano

publicidade

anuncie