COMO FUNCIONA

Corrida de touros em Pamplona

Começou como brincadeira na festa de São Firmino em 1881. E virou tradição da cidade espanhola. Todo julho, são 8 corridas. Cada uma em um dia, mas todas duram só 3 minutos

por Ricardo Torres, Larissa Santana, Renata Steffen e Aluísio Cervelle

Data - De 7 a 14 de julho

Velocidade dos touros - 25 km/h

Mortes de participantes - 15 desde 1881 (a última em 2009)

Feridos por ano - Entre 200 e 300


1. Preparação

Na véspera de cada uma das 8 corridas, 6 touros fortes são conduzidos para o curral da largada. Junto com eles vão 6 novilhos treinados, que têm a função de guiar o grupo no trajeto.


2. Largada

Às 7h55, os participantes começam uma série de 3 orações a São Firmino. Às 8h, um rojão é lançado e as portas do curral se abrem. Assustados, novilhos e touros começam a correr.


3. Roupa

Branca para lembrar os primeiros a correr com touros: eram açougueiros. O laço vermelho é homenagem a São Firmino, que foi degolado.


4. Espectadores

Assistem a tudo de prédios. Os ingressos mais baratos custam 50 (com café da manhã incluso) e são para os terraços, longe dos touros. Nas janelas de andares baixos, o preço pode dobrar. A corrida também é transmitida ao vivo por redes de TV.


5. Corredores

Até 3,5 mil voluntários aparecem para correr com os animais. Para mostrar coragem, alguns tentam se manter em frente aos touros e tocar os chifres. Pastores cutucam os animais com varas de 1,5 m de comprimento para mantê-los no caminho.


6. Desfecho

A corrida acaba na Plaza de Toros. Os touros ficam em um curral lá dentro até as 18h30, quando viram estrelas de uma tourada. Enfrentam 3 toureiros e são mortos na arena. Os novilhos são poupados para guiar mais 6 touros no dia seguinte.

publicidade

anuncie

Super 338 - Maconha medicinal Com uma guerra judicial envolvendo crianças, mães e o governo, a discussão sobre as propriedades médicas da maconha pega fogo no País. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 338
outubro/2014

Maconha medicinal
Com uma guerra judicial envolvendo crianças, mães e o governo, a discussão sobre as propriedades médicas da maconha pega fogo no País.

- sumário da edição 338
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Cultura

publicidade

anuncie