Haja Asfalto!

Quantas ruas existem em São Paulo?

por Marcos Nogueira

A maior cidade do país tem precisamente 48 623 logradouros, segundo dados atualizados em fevereiro pela prefeitura. Por logradouro, entende-se qualquer via pública – de becos a avenidas, de passagens subterrâneas a viadutos. Esse número não leva em conta as ruas que ainda não foram cadastradas, que são muitas. “Para que uma rua passe a existir oficialmente, é preciso que o Diário Oficial do Município publique um decreto assinado pelo prefeito (no caso, a prefeita Marta Suplicy)”, diz Rui de Azevedo, diretor do departamento municipal responsável pelo cadastro de logradouros. Segundo Rui, surgem entre 50 e 100 novas vias públicas na cidade todos os anos. “Com as que são renomeadas, fazemos cerca de 600 atualizações anuais”, afirma Rogério Spegni, editor do Guia 4 Rodas Ruas São Paulo, que na edição 2004 traz as plantas de 91 mil logradouros da região metropolitana. Haja criatividade para dar nomes a tantas ruas. Cada via tem uma história, mas a maioria dos paulistanos não faz idéia de o que significam as palavras impressas na tabuleta da rua de sua casa. Essas informações, antes escondidas nos gaveteiros do Arquivo Histórico Municipal, agora estão disponíveis de graça na internet. No site História das Ruas de São Paulo, é possível digitar o nome de um logradouro da cidade e descobrir o que ele quer dizer. “O acervo começou a ser organizado em 1936, quando o escritor Mário de Andrade dirigia o Departamento de Cultura, atual Secretaria Municipal de Cultura”, diz Luís Soares de Camargo, diretor do Arquivo. A equipe de Luís digitou as fichas datilografadas desde então e foi atrás dos nomes que não constavam no acervo. “Fazemos de 20 a 30 atualizações diárias”, diz o historiador. “Já há 50 mil nomes catalogados.” Isso é mais que o número de logradouros da cidade, por um simples motivo: o site lista ruas que não existem mais ou mudaram de nome.

Para saber mais

Na internet:

www.dicionarioderuas.com.br, História das Ruas de São Paulo

 

Cada rua, uma história

Saiba o que os nomes dos lugares paulistanos querem dizer

1. Avenida São João

São João Batista é o protetor das águas. A avenida recebeu seu nome porque os rios próximos, Iacuba e Anhangabaú (hoje canalizados), eram tidos por assombrados pelos índios. Em tupi, iacuba significa “água envenenada” e anhangabaú, “águas do diabo”

2. Avenida Ipiranga

Ipiranga, em tupi, significa “rio vermelho”. É o nome do córrego que passa perto do local em que dom Pedro I proclamou a independência do Brasil

3. Viaduto do Chá

É chamado assim porque havia uma grande plantação de chá onde hoje está o Teatro Municipal de São Paulo, próximo ao viaduto. O dono da lavoura era o barão de Itapetininga, nome de uma rua nas redondezas

4. Avenida Paulista

Homenagem óbvia a São Paulo. A cidade se chama assim porque foi fundada em 25 de janeiro, dia que a igreja reservou para celebrar Paulo, o santo

5. Avenida Rebouças

O nome da avenida homenageia o engenheiro baiano Antônio Pereira Rebouças Filho, que construiu a ferrovia Curitiba-Paranaguá

6. Parque do Ibirapuera

Em tupi, ibirapuera quer dizer “madeira podre”. Esse era o nome de uma aldeia indígena fundada em 1560 pelo padre José de Anchieta, na antiga vila de Santo Amaro (hoje um bairro da zona sul de São Paulo)

 

publicidade

anuncie

Super 340-b - Universo - o cosmos segundo a SUPER As melhores reportagens dos 27 anos da SUPER sobre o espaço, o tempo e os limites da ciência - agora revistas e atualizadas. Uma viagem do infinito ao infinitesimal. Como você nunca viu. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 340-b
novembro/2014

Universo - o cosmos segundo a SUPER
As melhores reportagens dos 27 anos da SUPER sobre o espaço, o tempo e os limites da ciência - agora revistas e atualizadas. Uma viagem do infinito ao infinitesimal. Como você nunca viu.

- sumário da edição 340-b
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Cultura

publicidade

anuncie