Notícias Superinteressantes

Os frutos da salvação

Ecologistas redescobrem uma palmeira que dá como fruto o marfim vegetal. A planta pode ser a salvação dos elefantes da África.

Uma palmeira típica da floresta tropical do Equador, Colômbia e Peru está sendo considerada a melhor arma na luta contra o extermínio dos elefantes africanos. Trata-se da Phytelephas macrocarpa, uma planta já conhecida pelos exploradores europeus desde o século XVIII, que só recentemente caiu nas graças dos ambientalistas por causa de seu fruto, o marfim vegetal. Capaz de produzir de 18 a 20 quilos de preciosos cocos por árvore, a palmeira foi “redescoberta” por ativistas da organização ecológica francesa Robin Wood, que atualmente se encarrega de importar o produto para a França. A idéia, entretanto, é reativar o comércio em larga escala desse marfim renovável e acabar definitivamente com a mortalidade provocada pela caça aos elefantes. No inicio do século, 42000 toneladas desses cocos chegaram a ser exportadas pela Colômbia e Equador, mas os números têm diminuído ano a ano. 

De acordo com os dados do escritório francês do World Wildlife Fund (WWF), em 1979 a população de elefantes africanos era de cerca de 1,3 milhão. Como em 1989 restavam apenas 650000 mil vivos, um protocolo internacional assinado em Lausanne, na Suíça, baniu o comércio do marfim de elefantes. Apesar disso, os ecologistas garantem que presas desses animais ainda são negociadas ilegalmente em alguns países.

 

 

 

 

publicidade

anuncie

Super 339 - Humanos: caem as fronteiras entre nós e os animais Novas descobertas deixam claro: chimpanzés têm idiomas, cultura, fazem política, tecem redes sociais e praticam caridade. Chegou a hora de conferir direitos humanos a eles? Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 339
novembro/2014

Humanos: caem as fronteiras entre nós e os animais
Novas descobertas deixam claro: chimpanzés têm idiomas, cultura, fazem política, tecem redes sociais e praticam caridade. Chegou a hora de conferir direitos humanos a eles?

- sumário da edição 339
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Ecologia

publicidade

anuncie