Aranha faz a teia com fios de proteína

Como a aranha constrói sua teia?

Quantos tipos de teia existem?

Na parte de trás do abdome da aranha existem glândulas chamadas sericígenas, que secretam um tipo de proteína. “Dentro da glândula ela está líquida mas assim que entra em contato com o ar torna-se um fino fio de seda com o qual será construído a teia”, explica o biólogo Hilton Japyassu, do Instituto Butantan, em São Paulo. Sua estrutura e formato vai depender da finalidade. Existem quatro tipos principais. As teias de captura são as que vemos com mais facilidade porque a aranha a tece em locais abertos, onde os insetos passam. Ela lança um fio principal e, a partir dele, organiza uma espécie de rede (veja infográfico abaixo). Parte dela é coberta com uma substância viscosa na qual as vítimas ficam coladas. As teias de refúgio são a casa das aranhas, formadas por um grande emaranhado de fios, muitas vezes parecendo tubos. As teias de cópula formam uma espécie de copinho nos quais o macho deposita o esperma para depois colocá-lo na fêmea. Algumas espécies de aranha trocam seu esqueleto (que é externo, como o das baratas) penduradas em fios. São as chamadas teias de muda.

Para construir a teia, uma aranha leva entre 20 e 30 minutos. A durabilidade de cada uma varia de horas até mais de uma semana. Existem 4 000 espécies de aracnídeos conhecidos no mundo e todos eles produzem pelo menos um dos quatro tipos. Os fios de seda podem também ter outra finalidade: as aranhas papa-moscas, comuns dentro das casas, o usam para não cair. Ao se locomoverem, elas pulam de um lugar para o outro. A cada pulo, criam mais um fio que garante sua segurança. Já as aranhas conhecidas como dinopis fabricam uma rede, ficam segurando até que apareça uma presa e jogam-na, como uma armadilha, para aprisionar a vítima.

Linha de montagem

Sete etapas da produção de uma rede para pegar insetos
1 e 2 A aranha lança um fio de um ponto a outro. 3 e 4 À partir dele passa a fazer uma estrutura de suporte. 5 Do centro, tece uma espiral para servir de base. 6 Depois, caminha para a parte externa e 7 constrói finalmente a teia.

publicidade

anuncie

Super 335 - O perigo do glúten Ele está em tudo que você gosta, age sobre o seu cérebro e pode ser a causa da epidemia global de obesidade. Afinal, glúten faz mal mesmo? Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 335
julho/2014

O perigo do glúten
Ele está em tudo que você gosta, age sobre o seu cérebro e pode ser a causa da epidemia global de obesidade. Afinal, glúten faz mal mesmo?

- sumário da edição 335
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Mundo Animal

publicidade

anuncie