GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Vem aí: chocolate 70% cacau com sabor ao leite

Cientistas conseguiram adoçar o sabor do chocolate amargo sem sacrificar seus nutrientes

Comer chocolate faz bem ao coração, reduz o estresse e até diminui a obesidade. Tudo muito bom, tudo muito bem, só que tem um detalhe: para fazer bem, precisa ser chocolate amargo, no mínimo 70% cacau e sem leite. Como não é todo mundo que curte o amargo característico de um quitute desses, cientistas têm trabalhado em um jeito de igualar o sabor do chocolate amargo ao docinho do ao leite, para que a gente possa aproveitar o gosto de um e os benefícios do outro sem culpa nenhuma.

LEIA: 4 motivos científicos para comer chocolate sem culpa

Agora, um grupo de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA, conseguiu fazer exatamente isso: para disfarçar o amargo, adicionaram ao chocolate maltodextrina, um carboidrato com um sabor levemente doce que pode ser encontrado em alimentos ricos em amido, como a batata, o arroz ou o trigo.

Além disso, usaram também extrato de amendoim, que dá ao chocolate um doce especial e semelhante ao do leite, mas sem aumentar os níveis de gordura, por exemplo. O mais legal é que esse extrato é um subproduto do amendoim industrial – ou seja, além de deixar o chocolate amargo mais gostosinho, essa nova técnica também vai evitar esse desperdício.

LEIA: Chocolate deixa você mais esperto

Parece que a mistura funcionou: nos primeiros testes, 80 pessoas provaram o tal chocolate e a maioria delas concordou que não havia grandes diferenças entre ele e o chocolate ao leite comum. Fora que nenhum dos ingredientes mágicos (a maltodextrina e o extrato de amendoim) afetou os nutrientes do 70% cacau.

Agora, os cientistas estão tentando descobrir se quem tem alergia a amendoim poderia comer a nova iguaria, mas ainda não têm certeza. Por isso, o chocolate saudável e doce ainda não tem previsão de chegada ao mercado. Até lá, a gente vai esperar ansiosamente… Devorando barras inteiras, claro.