GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O mundo está melhor do que você pensa. Entenda em cinco gráficos

Não, a humanidade não está no fundo do poço. Veja cinco estatísticas que melhoraram dramaticamente nos últimos anos

É lugar-comum afirmar que nunca, jamais, o mundo esteve PIOR do que hoje. Aristóteles já reclamava disso. Natural: o cérebro é nostálgico por natureza. Da mesma forma que a grama do vizinho é sempre mais verde, o passado tende a parecer melhor do que o presente. Isso acontece porque o nosso cérebro, ensina a neurociência, é auto-limpante: ele descarta boa parte das memórias ruins. Sim, existem os traumas, mas o balanço geral é de uma massa cinzenta com mais memórias boas do que ruins, mesmo que a sua vida não tenha sido lá um mar de alegria.

Quando se aplica essa lógica interna ao mundo externo, o mundo real, o resultado é uma visão eternamente pessimista, na qual o mundo de hoje sempre parece pior que o de ontem, e o de ontem pior que o de anteontem, o que talvez tenha ajudado a criar um dos mitos mais recorrentes da sociologia (já superado) – o de que a vida em estado selvagem era de uma perfeição platônica. Não. Não era – a não ser que você considere expectativa de vida na casa dos 40 anos, mortalidade infantil rampante e canibalismo ocasional como ideais platônicos.

Filosofia à parte, o fato é que as últimas décadas testemunharam, sim, os maiores progressos da história: nunca estudamos tanto, nunca tanta gente saiu da pobreza, a comida é mais barata hoje do que em qualquer época da história da humanidade. E da pré-história também. Sim, não havia dinheiro na pré-história, mas, como tempo de fato é dinheiro, e gastávamos quase todo o nosso tempo em busca de comida, podemos inferir a alimentação era terrivelmente cara. O mundo, no fim das contas, está até bão, Sebastião.

Veja agora cinco gráficos que deixam isso claro. E entenda.

0

 

03

Fonte: Our World in Data, Max Rose

04

Fonte: UN Interagency Group for Child Mortality

 

02

Fonte:  International Labor Organization

 

05

Fonte: Our World in Data, Max Roser

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s