Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Fundo vermelho liso. Ciência Maluca Por redação Super Este blog não é mais atualizado. Mas fique à vontade para ler o conteúdo.

O divórcio pode ser contagioso

Por Thiago Perin Atualizado em 21 dez 2016, 10h07 - Publicado em 6 jul 2010, 12h29

"Amor, como é que anda o casamento do vizinho, hein?"

“Amor, como é que anda o casamento do vizinho, hein?”

Parece que a gente não se cansa mesmo de copiar os outros. Mesmo quando o papo é bem sério, tipo o fim de um casamento. Um novo estudo (feito por pesquisadores das universidades de Brown, California e Harvard) aponta que “o divórcio pode se espalhar entre amigos, irmãos e colegas de trabalho”. Tipo um vírus? É. Em alguns casos, até amigos de amigos entram no bolo e, sem nem saber, influenciam o seu relacionamento. Segundo o estudo, uma pessoa pode ficar até 75% mais propensa a terminar o próprio casamento se alguém bem próximo a ela já tiver mandado o amor passear (se o divorciado exemplar for amigo de um amigo, a “taxa de contaminação” ainda é alta: 33%). Os autores concluem que “observar a saúde do casamento alheio dá suporte e aumenta a durabilidade da própria relação” e que “o divórcio deve ser entendido como um fenômeno coletivo, que se estende muito além do que àqueles diretamente afetados”. E ainda trazem uma porção de outras constatações interessantes, como, por exemplo, que o risco de divórcio diminui a cada filho que o casal tem e que pessoas populares são menos propensas à separação. (Quer ver mais? Clica aqui.)

Leia também:
Se o marido for mais feliz do que a esposa, é divórcio quase certo
Cientistas descobriram o segredo de um casamento feliz
Na hora da paquera: se os outros querem, a gente quer também

Continua após a publicidade

Publicidade