Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Como as Pessoas Funcionam Por Blog Estudos científicos e reflexões filosóficas para ajudar você a entender um pouco melhor os outros e a si mesmo. Por Ana Prado

É melhor se vangloriar abertamente a ter falsa modéstia

Por Ana Prado Atualizado em 16 jan 2018, 18h55 - Publicado em 16 jan 2018, 16h24
Twitter/Reprodução

Quem é que nunca viu uma foto nas redes sociais com uma legenda do tipo “olhe como estou feio(a)”, embora a pessoa estivesse ótima e soubesse disso? Se você se incomodou com o autor do post, saiba que não é o único. E se você é o autor desse tipo de post e quer ter aprovação dos seus seguidores, saiba que é melhor fazer uma legenda sincera de uma vez (“caramba, eu tou muito bem nesta foto”) a usar a falsa modéstia.

Pelo menos é o que afirma uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard e da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill. Os autores publicaram o estudo no Journal of Personality and Social Psychology.

Eles descobriram que aquilo que em inglês é chamado de humblebragging – algo como se gabar humildemente, ou enaltecer algo de si próprio ou de sua vida com falsa modéstia para parecer humilde – é uma atitude muito comum. No fim das contas, todo mundo quer mostrar que é legal, mas tem medo de parecer arrogante.

O problema é que essa falsa modéstia não cola. As pessoas percebem o que você está tentando fazer e isso causa uma impressão mais negativa do que se você simplesmente fosse sincero.

Os experimentos

Os pesquisadores fizeram nove testes, e todos consistiam em pedir que voluntários anotassem em um diário como se sentiram ao lidar com humblebragging, seja nas redes sociais, em experiências de campo ou outras situações da vida real. Dos 646 voluntários, 70% foram capazes de se lembrar de pelo menos uma situação recente desse tipo.

Continua após a publicidade

Segundo o estudo, há duas formas mais comuns de se gabar com falsa modéstia. A primeira delas é por meio de reclamações: a pessoa tenta destacar um lado negativo de algo que suscita admiração. Por exemplo: “Não aguento mais todas essas pessoas me convidando para eventos importantes!”. Ou o tweet acima.

Outra forma é baseada em uma humildade forçada, como em “não entendo o que todas essas mulheres veem em mim!”.

Os autores descobriram que tendemos a notar o segundo tipo – e nos irritar com ele – mais frequentemente. A maioria dos entrevistados preferia ouvir alguém se gabando abertamente (pois isso lhes parecia mais honesto) a presenciar essa falsa humildade.

E tem mais: quem costuma praticar o humblebragging geralmente é menos apreciado em geral e parece menos confiável do que as outras pessoas.

O estudo completo está disponível aqui.

(Via Medical Xpress). 

Continua após a publicidade
Publicidade