Clique e assine a partir de 5,90/mês
Contando Ninguém Acredita Por Blog As notícias mais bizarras e surreais do mundo

Gangues especializadas em roubo de areia fazem ilhas inteiras sumirem

Por Lucas Massao - Atualizado em 4 jul 2018, 20h33 - Publicado em 27 jun 2016, 14h35

Areia

Uma escassez global de areia tem motivado o surgimento de gangues que roubam grandes quantidades do material de rios e praias. A falta é tão grande que algumas ilhas inteiras desapareceram por causa da ação dos criminosos, de acordo com Vince Beiser, jornalista que está escrevendo um livro sobre o assunto.

Parece ser difícil pensar que algo tão trivial como areia possa causar tamanho incômodo, mas basta pensar que ela está presente em quase qualquer obra de infraestrutura para justificar a sua importância. Para Beiser, “isso ocorre porque o número e o tamanho das cidades estão explodindo. A cada ano, há mais pessoas no planeta, e elas estão nas cidades”.

Outros fatores podem aumentar ainda mais a gravidade do problema. A areia desértica, esculpida pelo vento, não é recomendada para a construção, por não grudar tão bem quanto à produzida pela erosão. Beiser completa “areia utilizável é um recurso finito. Para usarmos a areia que precisamos, estamos reduzindo leitos de rios, praias e planícies”.

A mineração de areia, segundo o autor, virou uma indústria bilionária, responsável por causar danos irreversíveis ao meio ambiente, já que a extração do material acaba provocando mudanças no ecossistema, matando peixes e aves.

A demanda pelo produto levou ao surgimento de gangues de ladrões de areia. E o mercado negro alimentado pelas ações desses grupos tomou proporções violentas. “Na Índia e na Indonésia, ativistas e funcionários do governo que confrontaram gangues foram mortos”, afirma Beiser.

O jornalista não é o único preocupado com esse cenário. Em uma fala no começo desse ano, Pascal Peduzzi, chefe da Unidade Global de Mudanças e Vulnerabilidade da ONU disse que a areia é um recurso que precisa ter seu uso repensado. “Em alguns lugares, ela não é mais abundante.”

Com The Independent

Continua após a publicidade
Publicidade