Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Existe aurora boreal em outros planetas?

Sim. Mas ela nem sempre se manifesta em uma forma de luz visível por seres humanos.

Por Bruno Vaiano 19 ago 2021, 08h27

Existe. A aurora boreal – ou austral, já que o fenômeno também rola no Hemisfério Sul e é visível da Tasmânia ou da Terra do Fogo – pode ocorrer nos polos de qualquer planeta que tenha um campo magnético e uma atmosfera razoável.

Todos os gigantes gasosos (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) exibem auroras espetaculares. Marte tem uma versão peculiar visível à luz do dia. E Vênus, com seu ar espesso e denso, não deixa por menos.

  • As auroras começam quando o Sol emite um jorro de partículas subatômicas carregadas eletricamente – os chamados “ventos solares”. Essas partículas são componentes de átomos, prótons e elétrons que costumavam formar hidrogênio e hélio, mas se separaram por causa do calor extremo e entraram num estado conhecido como plasma.

    Ao alcançarem um planeta, essas partículas são aceleradas pelo campo magnético e colidem com as moléculas que formam a atmosfera. Desse impacto, nasce a luz.

    O que muda, de caso para caso, são as cores. Por exemplo: em Saturno, por causa do tipo de gás que envolve o planeta, a intensidade do campo e outras variáveis, o fenômeno se manifesta na parcela ultravioleta do espectro, invisível para nós.

    Pergunta de @martin_jeffe, via Instagram.

    Continua após a publicidade
    Publicidade