Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Por que é tão difícil encontrar fósseis de dinossauros no Brasil?

Da falta de paleontólogos aos biomas e a história geológica do nosso território, há vários motivos para a relativa escassez desses répteis por aqui.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 13 ago 2021, 10h30 - Publicado em 13 ago 2021, 10h28

Nós conversamos sobre isso em uma reportagem de 2019 sobre dinossauros brasileiros, que o leitor pode acessar aqui. Vamos resumir a situação abaixo:

Por um lado, há o baixo investimento em pesquisa. O Brasil é enorme, mas tem só cerca de 450 paleontólogos atuantes. A maioria deles divide a atenção a escavações e análises com o ensino na graduação e pós-graduação em universidades públicas, o que diminui ainda mais o tempo total dedicado à atividade.

(Muitos ossos, cocôs e até tecidos moles fossilizados que já foram extraídos de rochas aguardam descrição há anos em gavetas de museu. De fato, é muito comum que uma descoberta recente ocorra graças a um resquício coletado décadas atrás que aguardava pacientemente um pesquisador para analisá-lo.)

Outra é a geografia. Uma fatia razoável do nosso território é coberta por biomas de vegetação densa, ao contrário da Argentina – uma potência paleontológica com sua árida Patagônia, repleta de ossos despontando do chão. Locais de rocha nua são muito mais propícios a descobertas.

Na cidade mineira de Uberaba, uma região repleta de artefatos paleontológicos, até a escavação de um shopping revelou uma ossada de titanossauro. Não fosse a sorte de uma obra estar sendo realizada naquele terreno exato, jamais saberíamos que aqueles fósseis estavam ali.

Também demos azar no passado. América do Sul e África passaram boa parte da era dos dinossauros grudadas, algo que se percebe facilmente pelas costas dos dois continentes – que se encaixam como peças de um quebra-cabeça. Isso colocava o Brasil no centro de uma massa de terra muito ampla, e locais isolados no miolo de continentes tendem a abrigar ecossistemas áridos, com pouca biodiversidade.

Por fim, há uma lacuna no período Jurássico, quando rochas do tipo sedimentar – aquelas em que se acumulam fósseis – quase não se formaram por aqui. Os dinossauros brasileiros se dividem em basicamente duas categorias: os mais antigos do mundo, que datam do Triássico e se localizam na Região Sul, e outros bem mais recentes, do período Cretáceo, que aparecem em estados como Minas, Ceará e Maranhão (dentre outros).

Pergunta de @estevaobayeri, via Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade