Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Qual é a espécie mais numerosa do planeta?

Nesse caso, tamanho é documento – só que ao contrário: as criaturinhas mais abundantes também são as menores.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 16 abr 2021, 10h52 - Publicado em 16 abr 2021, 09h22

Há 1 milhão de bactérias em cada mililitro de água do mar. O número total desses microrganismos nos oceanos tem 28 zeros; são 10 milhões delas para cada estrela do Universo observável. Estima-se que um único organismo unicelular, a Pelagibacter ubique, corresponda a um terço dessa população. 

Alguma espécie de bactéria oceânica como a P. ubique, portanto, seria a campeã não fosse um pequeno detalhe (prepare-se para o plot twist): toda bactéria pode ser infectada por vírus bacteriófagos – esses com cabecinha geométrica de icosaedro que você vê na ilustração. Por isso, estima-se que o número total desses vírus nos oceanos seja umas mil vezes maior que o das bactérias, com 30 ou 31 zeros. Eis os campeões do planeta.

É impossível estimar com precisão a quantidade exata de uma ou outra espécie de vírus – até porque esses serezinhos sofrem mutações genéticas o tempo todo e dão origem constantemente a novas linhagens. Os oceanos são muito grandes e não conhecemos nem uma fração da biodiversidade microscópica que eles abrigam.

Se limitarmos nosso ranking a animais, alguns bons candidatos são os pequenos crustáceos chamados krill, que são a base das cadeias alimentares marinhas, ou os vermes nemátodos. Os insetos sociais, como as formigas e abelhas, também são excelentes concorrentes.

Pergunta de @ivsonbeltrao, via Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade