Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Qual foi o primeiro esporte?

Provavelmente lançamento de dardo – como uma forma de praticar para as caçadas. Mas, se você estiver falando de esporte com uma finalidade totalmente lúdica, a história é diferente.

Por Guilherme Eler 11 fev 2021, 17h51

Tentar escolher critérios para definir qual esporte veio primeiro não é das tarefas mais fáceis. Modalidades praticadas até hoje, como corridas e lutas corpo a corpo, derivam de atividades tão antigas quanto a existência da nossa espécie. É de se imaginar que os primeiros sapiens não corressem só de predadores perigosos, mas que também o fizessem por diversão. 

A caça talvez seja a atividade pré-histórica que mais se assemelha ao atletismo contemporâneo. Considerando que o hábito de acertar animais com lanças era algo comum inclusive entre neandertais, dá para dizer que o lançamento de dardos foi a modalidade inaugural. Há evidências de que humanos já treinavam para a tarefa 70 mil atrás.

Essa hipótese foi defendida pela primeira vez em 1969, num artigo assinado pelo historiador alemão Gerhard Lukas, estudioso da origem dos esportes. Lukas argumenta que humanos precisavam refinar suas habilidades na captura de alimento, e encontravam na competição uma forma de fazê-lo. Quem conseguia superar seus colegas, afinal, provavelmente tinha mais chances de acertar uma presa a metros de distância quando fosse a hora da verdade. 

“O atleta nasceu da caça. Seus primeiros talentos foram aqueles necessários para perseguir e massacrar”, reforça Stephen Amidon no livro Como se fossem os deuses: uma história cultural do atleta, de Aquiles a LeBron. As primeiras competições esportivas, portanto, teriam nascido com a necessidade de aprimorar habilidades mais refinadas do que a agilidade ou força bruta.

  • Outro aspecto interessante dessa discussão diz respeito aos esportes coletivos – que simulam a guerra. “Competições esportivas são confrontos simbólicos mal disfarçados”, disse Carl Sagan em um texto publicado na Super em 1988. “[…] falamos em ganhar ou perder uma guerra com a mesma naturalidade com que falamos em ganhar ou perder um jogo”. Demorou alguns milênios até que as práticas esportivas de fato começassem a se desvencilhar do contexto bélico.

    Agora você pode dizer: “mas Oráculo, isso era treino para realizar uma tarefa prática. Quando foi que praticaram, pela primeira vez, um esporte apenas por prazer?”

    Os esportes e jogos só passaram a ter uma dimensão unicamente lúdica com o estabelecimento das grandes civilizações e a criação de contextos culturais e sociais mais complexos.

    Uma caverna no Egito contém desenhos de 6 mil anos que representam pessoas nadando – talvez por diversão. Placas de pedra sumérias de 4 mil anos retratam humanos lutando em um contexto não bélico. Um pouco depois, 3,2 mil anos atrás, os egípcios passaram a praticar um esporte semelhante ao boliche contemporâneo. E os persas já praticavam o avô do polo, montados em cavalos, há 2,5 mil anos

    Fontes: Something Like the Gods: A Cultural History of the Athlete from Achilles to LeBron. The Anthropology of Sport: An Introduction

    Continua após a publicidade
    Publicidade