Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Oráculo Por Bruno Vaiano Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail bruno.vaiano@abril.com.br.

Se o sexo das tartarugas depende da temperatura, como são os cromossomos?

Simples: elas não têm cromossomos sexuais.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 10 dez 2020, 14h29 - Publicado em 10 dez 2020, 14h28

As tartarugas famosas graças ao Projeto Tamar – como a tartaruga-oliva, a tartaruga-de-couro e a tartaruga-cabeçuda – não têm cromossomos sexuais. Simples assim.

A diferenciação entre os sexos ocorre no segundo terço do período de incubação dos ovos. Entre as tartarugas, as temperaturas mais altas geram fêmeas; as mais baixas, machos.

Com o ninho a 29°C, nascem bebês dos dois sexos. Percorrendo a escala de 29 °C até 33 °C, a proporção de fêmeas aumenta gradualmente até atingir 100%. Descendo de 29°C para 24 °C, nascem cada vez mais machos.

  • Outros répteis seguem um padrão diferente: temperaturas intermediárias geram machos, e ovos muito frios ou muito quentes se tornam fêmeas.

    Por fim, há espécies que estão em uma situação evolutiva intermediária: até possuem cromossomos X e Y – ou as variantes W e Z, em que ZZ é o macho e ZW é a fêmea –, mas o genoma não dá a palavra final. Um embrião com cromossomos para um sexo pode desenvolver características do sexo oposto quando exposto à temperatura certa.

    Pergunta de @oliveiramarilaine, via Instagram.

    Fontes: Luciana Medeiros Silva, bióloga do Projeto Tamar, “Sex chromosomes and sex determination in reptiles”, artigo de William S. Modi e David Crews.

    Continua após a publicidade
    Publicidade