Clique e assine com até 75% de desconto

‘Tem mais gente lendo’ incentiva leitura em espaços públicos e só cresce

Por Vanessa Daraya Atualizado em 21 dez 2016, 10h16 - Publicado em 30 abr 2015, 19h00

11149218_10204489620340076_1185012502_n

“Brasileiro não gosta de ler”. É provável que você já tenha escutado essa frase por aí. Mas ela está bem longe de ser verdade. O projeto Tem Mais Gente Lendo* (TMGL, como é chamado pelos idealizadores) prova que brasileiro gosta, sim, de ler. E muito! Criado pelos jornalistas Sérgio Miguez e Hamilton dos Santos, o movimento fotografa e divulga nas redes sociais pessoas enquanto leem em espaços públicos. Afinal, tem coisa mais bonita de se ver do que alguém apreciando um bom livro?

Tudo começou há cerca de dois anos, quando Sérgio passou a publicar em sua página do Facebook imagens de pessoas lendo no metrô com a hashtag #temmaisgentelendo. Não demorou muito para que Hamilton, seu amigo, também notasse o fenômeno. “As pessoas deveriam estar no smartphone, no tablet… Uma das coisas que passou pela minha cabeça foi: isso é incompatível com o que dizem as pesquisas. De fato, há uma diminuição na compra de livros. Mas isso não significa que as pessoas não estejam lendo”, me contou Hamilton. “Pode ser que as pessoas comprem menos, mas leiam mais. Isso não é contraditório. Elas podem pegar livros emprestado ou ler aqueles que compraram há muito tempo e estavam naquela velha pilha”.

Hamilton, então, também aderiu ao movimento de Sérgio e começou a postar registros de pessoas lendo, em seu Facebook. As publicações dos dois amigos repercutiram tão bem que resolveram criar uma página na rede social para centralizar o conteúdo em um único local. “Assumimos que era um projeto de incentivo à leitura nos espaços públicos. Não por meio de discursos edificantes, mas por meio da tecnologia, da difusão da imagem e das redes sociais. Ao mesmo tempo em que valorizamos o gesto da leitura a partir de fotos bonitas, também valorizamos o espaço público”, explica o jornalista.

Aos poucos, o projeto saiu do metrô e ganhou outros lugares, como ônibus, parques e até praias. Já são mais de 900 fotos publicadas, com cliques de gente lendo os mais diversos tipos de livros, que vão desde George R. R. Martin, Edmund Wilson e Madame Bovary à Bíblia e Zíbia Gasparetto. “Esse é o maior charme do projeto: a gente só registra o movimento do leitor. O gosto do leitor. Não o nosso”, conta.

E se alguém não curtir aparecer na página do TMGL, não tem problema! Apesar de a maioria dos registros não mostrar o rosto para preservar o direito de imagem das pessoas, basta pedir para tirar a foto do ar que a equipe se encarrega disso.

Na internet, o movimento extrapolou as fronteiras do Facebook e das imagens. Hoje, há o blog do TMGL*, que reúne conteúdos relacionados ao mundo dos livros a partir do gosto e da perspectiva do leitor. Um dos exemplos é a lista com objetos que ajudam a ler com mais conforto. Há também rankings dos livros mais lidos no metrô de São Paulo. “Fazemos uma cobertura que não tem pressupostos. Ela é popular. Para onde o leitor aponta a gente vai. Estamos tentando organizar esse conteúdo de alguma forma, com vários formatos e meios, entre eles vídeos”. Veja, abaixo, uma produção com algumas inspirações que deram vida ao projeto:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=tCUY3iROHTU?feature=oembed&w=560&h=315%5D

Continua após a publicidade

A equipe também cresceu. Apesar de não ter ninguém dedicado exclusivamente ao TMGL, hoje, além de Sérgio e Hamilton, fazem parte do projeto outros profissionais, também amantes de livros. O administrador Alexandre Campos, o designer gráfico Peu Ishio, e os jornalistas Carol Argamim Gouvêa e André Azevedo fazem parte do grupo.

Tudo isso sem falar dos incontáveis colaboradores virtuais. “Temos recebido muitas mensagens. As pessoas enviam fotos de todo o Brasil. Ainda não conseguimos publicar tudo que chega, mas divulgamos na medida do possível. Criamos uma rede e achamos que ela será ampliada”, afirmou.

Vale lembrar que o TMGL é talvez o mais recente projeto de incentivo à leitura. Existem outros como já contamos aqui no Planeta Sustentável sobre o Leitura no Vagão (parceiro do TMGL), que distribui livros nos bancos dos metrôs de São Paulo. E também o Underground New York Public Library*, da fotógrafa Ourit Ben-Haim, que registra leitores no transporte público de Nova York, nos Estados Unidos.

No blog do TMGL, Hamilton publicou uma entrevista com o fotógrafo holandês Reinier Gerritsen, viciado em clicar gente devorando livros no metrô de Nova York e autor da série The Last Book*, em que reúne esses retratos. E essas são apenas algumas provas de que, sim, tem mais gente lendo no Brasil e no mundo. E sempre terá!

11113412_670463289747124_6472704838533839035_o

*Tem Mais Gente Lendo
*Blog do TMGL
*Underground New York Public Library 
*The Last Book

Leia também
‘Leitura no Vagão’ incentiva leitura nos metrôs de São Paulo
Bibliotroca: o livro usado que vira novo
Não usa mais? É só trocar!
Livros itinerantes

Primeira Foto: Divulgação/TMGL/Bruna Goldberger Teixeira Coelho
Segunda fotoDivulgação/TMGL

 

Continua após a publicidade
Publicidade