Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Frase da semana: “A gramática controla até reis e princesas!” (Molière)

Por Tânia Vinhas Atualizado em 21 dez 2016, 10h36 - Publicado em 28 out 2011, 09h07

Toda semana, a SUPER explicar melhor um pouquinho mais sobre aquelas frases que ficaram famosas e marcaram a História, a Filosofia, a Arte, a Cultura ou a Ciência. Se você tem dúvidas sobre o contexto em que foi dita aquela citação que você curte, mande uma sugestão para nós. Depois, pode usá-la sem medo no nick do MSN, no Twitter ou no Facebook.

O francês Jean-Baptiste Poquelin ficou conhecido como Molière, um dos grandes mestres da comédia satírica que usava e abusava da dramaturgia para criticar os costumes franceses do século 17. A frase da semana aparece na peça Les Femmes Savantes (traduzido no Brasil como As Sabichonas), mais precisamente no Segundo Ato, Cena 6.

A estreia aconteceu no Théâtre du Palais-Royal no dia 11 de março de 1672 e contou a história do preciosismo e da pretensão acadêmica na educação feminina. A peça conta a história do casal Henriette e Clitandre. Os dois não podem ficar juntos graças a Philaminte, a mãe da moça, que cisma que a filha deve se casar com Trissotin, um poeta medíocre, porém erudito. Philaminte ainda conta com a ajuda de sua irmã e da outra filha, todas obcecadas por aprendizado e cultura.

Na cena em questão, Martine, a empregada, anuncia a todos que foi demitida por Philaminte. A matriarca então explica que a demissão teve motivo, pois a empregada cometeu um crime terrível – a péssima gramática, que é pior que roubo. “Ela, com incomparável insolência, após 30 lições, chocou meus ouvidos com o uso de palavra baixa e vulgar, condenada, em termos mais simples, por Vaugelas”, diz.

“Isto é…”, começa o marido, Chrysale, que logo é interrompido. “Qual! Ela sempre, apesar da nossa advertência, ofendeu o básico de toda ciência, a gramática, que controla até reis e princesas, e que com mão de ferro os sujeita às suas leis!”. “Acho que ela é culpada do pior dos crimes”, responde Chrysale. “Você não acha este crime imperdoável?”, conclui Philaminte. “Sim, sim…”, encerra o esposo.

Ainda que a frase tenha sido escrita em contexto irônico, ela abre uma boa discussão: será que a gramática realmente controla reis e princesas? Ou, hoje em dia, não tem tanta importância assim?

Veja a história por trás de outras frases famosas:
“Olho por olho e o mundo acabará cego” – Mahatma Gandhi
“Jamais interrompa seu adversário quando ele estiver cometendo um erro” – Napoleão Bonaparte
“Trocaria toda a minha tecnologia por uma tarde com Sócrates” – Steve Jobs
“[Deus] às vezes joga [dados] onde ninguém pode ver” – Stephen Hawking
“A imaginação é mais importante que o conhecimento” – Albert Einstein
Frase da semana: “Voe como uma borboleta, ferroe como uma abelha” – Muhammad Ali

Continua após a publicidade

Publicidade