Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Jovem de 17 anos descobre tratamento que pode ajudar na cura do câncer

Por Carolina Vilaverde Atualizado em 21 dez 2016, 10h18 - Publicado em 10 fev 2012, 18h34

A cura do câncer é, sem dúvidas, uma das descobertas científicas mais esperadas. Um estudo divulgado com alarde no mundo inteiro hoje, feito pela estudante chinesa Angela Zhang, de apenas 17 anos (!), aponta que é possível combater células cancerígenas sem afetar as células sadias.

A ideia da jovem foi misturar remédios de combate ao câncer em um polímero (um composto químico com grande massa molecular), que se ligaria a nanopartículas. A grande sacada é que essas nanopartículas se prendem mais rápido às células cancerígenas e, por isso, em uma ressonância magnética, os médicos seriam capazes de detectar exatamente onde os tumores estão.

Por fim, uma luz infravermelha aplicada na direção dos tumores derreteria o polímero, o que liberaria o remédio e deixaria as células saudáveis ilesas. Os testes em tumores de ratos mostraram que as células do câncer foram quase completamente destruídas. Ainda é cedo para tirar conclusões – testes em seres humanos só devem acontecer daqui alguns anos.

Mas a descoberta de Zhang já é um passo importante. Um dos maiores problemas nos tratamentos já conhecidos – radio e quimioterapia – é justamente os efeitos colaterais que provocam no paciente. Por isso, essa questão tem sido foco de atenção dos cientistas da área: um estudo dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA, divulgado na SUPER de fevereiro, também aponta uma possibilidade de tratamento menos agressivo ao paciente.

O que você acha?

(Leia a notícia original no Mail Online)

Continua após a publicidade
Publicidade