GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Blog

Superblog

Pais que usam smartphones interagem menos com seus filhos, afirma pesquisa

Por Marina Demartini, de EXAME.com

paisfilhos

Uma pesquisa da Universidade de Washington descobriu algo bizarro e preocupante sobre a relação entre crianças, pais e smartphones. De acordo com o estudo, 44% dos pais e das babás sentem-se culpados por não conseguirem parar de mexer nos smartphones quando estão cuidando de crianças em parques infantis.

Os pesquisadores relataram que os adultos tinham consciência de que deveriam restringir o uso do celular enquanto tomavam conta das crianças nos playgrounds. Porém, o tédio era mais forte que o medo ou a sensação de culpa por não interagir com as crianças. Os cientistas também observaram que os pais e as babás ficavam muito menos atentos aos pedidos das crianças quando usavam o smartphone do que quando conversavam com amigos.

Dos 70 casos relatados na pesquisa, apenas 11% dos adultos não responderam às crianças quando estavam conversando com amigos. Já nas 32 ocasiões em que as crianças tentaram interromper um adulto que estava usando o celular, os pais ou babás não conseguiram responder, falar ou olhar para outra direção que não fosse a tela do smartphone em 56% das vezes. Segundo os cientistas, a maioria dos pais e das babás utiliza o smartphone para mandar e-mails, escrever mensagens e tirar fotos. Apenas 28% dos adultos relataram usar seus celulares para trabalhar. Eles se sentiram menos culpados ao usar o smartphone quando tiravam fotos para compartilhar com seus companheiros (88%), ao checar o horário (75%) e ao marcar encontros (79%).

Uma constatação positiva é que o tempo gasto com smartphones nos parques de Seattle, cidade americana onde foi feita a pesquisa, foi relativamente curto. Quase dois terços dos pais e babás gastaram menos de 5% do seu tempo no parque usando um celular. E muitas interações telefônicas duraram menos de 10 segundos. O estudo, apresentado no mês passado em uma conferência da Associação de Equipamentos Computacionais na Coréia do Sul, documentou mais de 40 horas de interações em playgrounds no norte de Seattle e recolheu dados de 466 babás e pais por meio de entrevistas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s