Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Turma do Fundão Por Blog Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural

Resenha: A 5ª Onda

Por Mundo Estranho Atualizado em 12 mar 2019, 11h43 - Publicado em 22 jan 2016, 15h25

Baseado no primeiro livro de uma trilogia escrita por Rick Yancey, o filme A 5ª Onda estreou em janeiro de 2016. A história acompanha a protagonista Cassie (Chloë Grace Moretz), uma adolescente normal que se vê às voltas com um ataque extraterrestre e precisa ir em busca do irmão perdido.

A partir da chegada dos alienígenas, chamado de “Os Outros”, uma série de acontecimentos catastróficos começa a acontecer ao redor do mundo, as tais “ondas”, que incluem pulsos eletromagnéticos, tsunamis e doenças aviárias. Milhões de pessoas morrem por conta dessas tragédicas, que parecem verdadeiras pragas bíblicas. Conforme sobrevivem às ondas iniciais, Cassie e os aliados que faz ao longo do caminho se dão contra a estratégia por trás das tragédias: os alienígenas teriam planejado os desastres para eliminar do planeta as pessoas mais fracas. A quinta onda, supostamente, seria a última, a que dizimaria de vez a humanidade.

Os humanos mais fortes e sobreviventes são caçados um por um. “Os Outros” começam a se infiltrar entre os seres humanos, usando-os como hospedeiros. A sobrevivência da raça humana é praticamente impossível. Diante de tal ambiente de desconfiança e medo, a protagonista tenta encontrar seu irmão caçula, que está passando por situações tão difíceis quanto ela.

O clima de calamidade é constante no filme. Entretanto A 5° Onda é menos ficção científica e mais romance adolescente, o que torna algumas cenas acidentalmente cômicas em meio a um filme que se vende como sério. Cassie era apaixonada por um garoto de sua escola, mas acaba se envolvendo com outro rapaz durante os eventos apocalípticos.

Ou seja, podemos esperar fortemente pelo desenrolar de um triângulo amoroso nos próximos filmes.O filme funciona melhor como prólogo, uma vez que deixa muitas pontas soltas no decorrer da história. A apresentação das tragédias faz o espectador sentir na pele como tais acontecimentos estão próximos de acontecer, mas estraga tal momento quanto muda o foco para o romance.

Alex Roe (Evan) apaprece como revelação de mini-galã para o cinema hollywoodiano, enquanto Nick Robinson (Ben) é outra novidade, nos apresentando um personagem que cresce exponencialmente durante a história. Em meio às revelações, temos a experiente Chloë Moretz atuando bem, mas, sem grandes momentos inovadores. Saudades, Hit Girl em Kick Ass.

Para quem gosta do clima de aventura e tensão de filmes distópicos a nova trilogia pode agradar, apesar de não ser exatamente uma distopia. Fora isso, é mais do mesmo: uma heroína valente e um triângulo amoroso em meio ao caos.

Aliens? Isso não é nada, ano passado eu tava fugindo de dinossauros Sony/Divulgação

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Nota da Turma do Fundão:
nota2.5

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Bianca_RegoBianca_Sonnewend

Continua após a publicidade
Publicidade