Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Turma do Fundão Por Blog Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural

Semana de Halloween – 5 casos de exorcismo que ficaram famosos

Por turma-do-fundao Atualizado em 4 jul 2018, 20h35 - Publicado em 29 out 2013, 15h19

GabrielGarcia_halloween

oexorcista
Cena do filme O Exorcista

O termo “exorcismo” designa o ritual executado por uma pessoa devidamente autorizada a expulsar espíritos malignos (ou demônios) de outra pessoa que acredite estar num estado de possessão demoníaca. Muito comum nas ficções, o exorcismo é um ritual que existe de verdade, porém raro, pois depende da aprovação do Vaticano para ser realizado. Alguns casos repercutiram mundo afora e trazem histórias extremamente assustadoras. Conheça cinco dos mais famosos:

5. George Lutkins
Ano: 1778
Local: Vila de Yatton, Inglaterra

A vida de George, um alfaiate, começou a mudar quando o seu vizinho, que era um pastor local, começou a ouvir vozes vindas de sua casa. Algumas vezes, chegou a ouvir músicas estranhas sendo cantada por vozes que não eram a de George.

O homem chegou a ser examinado por médicos, sem resultados visíveis. Quando questionado, o próprio costureiro afirmou estar possuído por sete demônios diferentes, e que seria preciso realizar sete rituais de exorcismo. Durante suas possessões, ele fazia vozes estranhas e tinha comportamento violento.

Após um ritual de exorcismo, George foi curado e passou a viver uma vida tranquila.

4. Michael Taylor
Ano: 1974
Local: Ossett, Inglaterra

O inglês Michael Taylor era um membro de um grupo local da Irmandade Cristã. Em 1974, Taylor começou a se comportar estranhamente com a líder do grupo, Marie Robinson. Ele era agressivo e, muitas vezes, demonstrava raiva sem motivo aparente. À medida que os meses foram passando, Taylor finalmente admitiu que sentia o diabo dentro dele.

O vigário local interveio e decidiu realizar um exorcismo em Taylor. A sessão durou a noite toda e parecia caminhar para um sucesso, com um total de 40 demônios expulsos. Mas, infelizmente, a história não termina aí: Taylor não acreditava mais que estava possuído, mas dizia que sua esposa de 29 anos estava.

Na mesma noite de seu exorcismo, ele a assassinou brutalmente, arrancando seus olhos e língua. Então, correu pelado pelas ruas, coberto de sangue e gritando: “É o sangue de Satanás”. Taylor foi absolvido do assassinato por razões de insanidade, mas condenado a passar dois anos em Broadmoor, um hospital psiquiátrico de segurança máxima.

3. Clara Germana Cele
Ano: 1906
Local: África do Sul

Continua após a publicidade

Clara Germana Cele fez um pacto com Satã em 1906, o que fez com que fosse possuída por demônios. A jovem sul-africana contou sobre o acordo a um padre durante uma confissão.

Quando estava possuída, ela falava línguas que não conhecia e gritava de uma forma que assustava todos os que presenciaram. Sua voz não parecia de nenhuma pessoa ou animal conhecido. Pessoas que estavam presentes afirmaram ter visto a moça levitar vertical e horizontalmente.

O ritual de exorcismo realizado por dois padres não foi nada tranquilo. Ela estava muito violenta, tanto que tomou a Bíblia da mão de um deles e tentou fazê-lo engolir o livro. O ritual foi considerado um sucesso e o demônio foi supostamente expulso do corpo de Clara.

2. Anneliese Michel
Ano: 1975-1976
Local: Leiblfing, Alemanha

Criada em uma família católica, Anneliese acreditava que era amaldiçoada pelo fato de ouvir vozes. Em 1973, quando já se encontrava em depressão e pensava em suicídio, seu comportamento começou a se tornar mais bizarro. Ela rasgava suas roupas, comia carvão e chegou a lamber sua própria urina.

Anneliese foi tratada em um hospital psiquiátrico que não conseguiu melhorar a sua condição. A jovem tornou-se intolerante a lugares e objetos sagrados, como crucifixos. Anneliese foi submetida a 67 sessões de exorcismo que se seguiram, numa frequência de uma ou duas por semana, e se prolongaram inicialmente por cerca de nove meses, durante os quais ela, muitas vezes, tinha que ser segurada por até três homens ou, em algumas ocasiões, acorrentada.

Após um sonho com a Virgem Maria, Anneliese previu a data de sua morte: 1º de julho de 1976. E, exatamente nessa data, ela morreu enquanto dormia. O caso serviu como inspiração para o filme O Exorcismo de Emily Rose.

1. Robbie Mannheim
Ano: 1949
Local: Mt. Rainier, EUA

O filme O Exorcista, considerado por muitos o melhor filme de terror, foi baseado na história de Robbie Manheim. Pouco se sabe sobre a veracidade dos relatos, mas isso não faz com que a história se torne menos assustadora…

Robbie era um menino de 13 anos muito apegado a sua Tia Harriet, que tinha em casa uma tábua de Ouija, equipamento utilizado para contatar os mortos. Foi a partir de 1949 que as coisas começaram a ficar estranhas: primeiro, sons de goteiras que não tinham origem começaram a ser ouvidos na casa de Robbie. Mais tarde, esse barulho cessou, mas outros surgiram, como batidas e arranhadas, que os pais de Robbie atribuíram a ratos. Mas, apesar de uma longa busca, o pai de Robbie não conseguiu encontrar nenhum roedor na casa.

11 dias após o acontecimento, a tia de Robbie faleceu, deixando o menino em um estado desolador. Os pesquisadores do assunto alegam que o garoto tentou usar seu tabuleiro Ouija para falar com a sua tia e, talvez, isso tenha levado à possessão. Nos dias posteriores, a família passou a ser alvo de atividades paranormais de poltergeist, com móveis e artefatos se movendo sozinhos sem nenhuma explicação.

O quadro de Robbie só piorou e foi então que sua família procurou o reverendo Luther Miles Schluze, que passou uma noite na casa para examinar seu caso. Durante aquela noite, o reverendo percebeu que vários objetos se moveram pelo quarto enquanto Robbie dormia. Ele foi levado ao reverendo William S. Bowdernm, que passou dois meses tratando o garoto em uma terapia que incluiu 30 rituais de exorcismo, o que o devolveu à normalidade.

tabuadeouija
Tábua de Ouija, elemento crucial no caso de Robbie Mannheim

Continua após a publicidade
Publicidade