Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Turma do Fundão Por Blog Grupo de leitores-colaboradores da ME que ajuda a revista sugerindo pautas e alimentando este blog cultural

TdF 2017 – As pérolas das inscrições

Por Da Redação Atualizado em 4 jul 2018, 20h34 - Publicado em 21 ago 2017, 16h14

Todo ano é a mesma coisa: centenas de fichas enviadas para a seleção da Turma do Fundão, muita correria para ler tudo a tempo e muitas, muitas risadas com as coisas que as pessoas nos contam. A pergunta “Qual foi a coisa mais nojenta que você já fez?” sempre rende histórias absurdas.

Por um lado, é bom que nossos candidatos sejam desinibidos. Por outro, tem coisas que a gente lê e custa a acreditar que são verdades. Com vocês, o melhor da seleção deste ano.

Qual foi a coisa mais nojenta que você já fez?

– Beijar um garoto que tinha acabado de beber água da privada do único banheiro que tinha em uma festa

– Bem, pra ser bem sincera, quando eu era criança, eu amava comer papel higiênico do banheiro! Eu sempre ia ao banheiro, pegava alguns pedaços e ia comer no meu quarto, eu fiz isso até um seis ou sete anos, mais ou menos…

– Comer um pombo que achei na calçada

– Quando tive muita vontade de fazer cocô, mas estava no meu quarto e, para chegar no banheiro, teria que passar pelo quarto da minha irmã e pelas amigas dela. Fiquei com vergonha( eu estava cheirando mal), então defequei em uma sacola plástica e joguei pela janela 🙂

– Acho que foi limpar fraldas da minha prima bebê. Eu não sabia que tinha tanto nojo de cocô. Quando fui tirar a fralda que estava cheia, o cheiro chegou até meu nariz e eu não pude aguentar. Vomitei na hora. Pior que foi em cima da minha prima

– Lamber o olho de um amigo pra ver qual gosto tinha… ele deu a ideia… eu só concordei… foi pura curiosidade

– Eu , uma vez estava com sede , logo depois de ter capinado o quintal. Pedi pro meu irmão me trazer uma água, ele sacana como sempre, me trouxe um copo de mijo. Por estar com muita sede, nem liguei para o copo estar quente e bebi numa golada

– A coisa mais nojenta que eu já fiz foi pisar em um rato. Foi assim: Eu estava andando normalmente em mais um dia de inverno quando, de repente, meu irmão se dirigiu a mim e falou “Ô GUSTAVOOO, VC PISOU NUM RATO”. Como irmãos sempre estão tentando zoar você, eu achei que ele só estava zoando com minha cara, então falei calmamente “Ata Guilherme” (Igual ao meme da Mônica). Mas eu tinha sentido mesmo algo na sola do meu tênis, quando eu olhei para baixo, um rato morto com as tripas para fora estava debaixo do meu tênis

– Talvez tenha sido a vez em que confundi um mictório com uma privada, fazendo com que eu e minha melhor amiga sentássemos em cima de muito respingo de urina

– Com certeza foi o dia em que eu precisei ajudar minha irmã a procurar o aparelho dentário dela no lixo do condomínio. Ela tinha voltado da escola e tinha deixado o aparelho dentro da lancheira, o problema é: ele estava enrolado em um papel, e minha mãe deduziu que era tudo lixo. Resultado: minha mãe descobriu só no dia seguinte, foi pedir a chave do depósito de lixo do prédio na portaria e fomos nós três – eu, minha mãe e minha irmã – procurar o aparelho, dentre sacos e sacos de lixo – bleh. De certo o mais nojento é pensar que minha irmã teve que usar ele depois

– Comi um brigadeiro pisoteado por uma criança em uma festinha. GENTE, É BRIGADEIRO, SEM DISCUSSÕES

– Uma vez, quando tinha acabado de sair de uma balada, um motoqueiro passou por mim e levou meu celular. Para minha sorte (ou azar), ele derrubou o aparelho a uns 2 metros de mim – bem naquele córrego sujo que fica grudado na guia. Sem pensar duas vezes, enfiei a mão naquela água e senti texturas e objetos que preferiria nunca ter sentido – mas deu tudo certo, e hoje meu celular continua “vivo” e comigo

– Tinha marcado de me encontrar com um garoto, estava gripada na data marcada. Cheguei um pouco antes no local combinado. Dei uma tossida que você sente que até teus órgãos foram parar na boca. O garoto chega… O QUE EU FAÇO??? Tava com vergonha de cuspir. O garoto me beija. MINHA DEUSA, O QUE EU FAÇO???? Quando nos separamos, ele diz: acho que engoli o seu chiclete. Eu não estava mascando chiclete

– Eu estava no avião e eu iria tomar meu remédio porém eu vomitei antes e uma parte caiu no copo de água e minha mãe me forçou a beber kkkk

Continua após a publicidade

– Lamber sangue de absorvente

– Quando meu irmão era bebê, meu pai estava trocando a fralda dele em cima da cama. Eu então cheguei pelo lado contrário pra fazer uma brincadeira com ele. Não contava que meu irmão urinaria em jato diretamente na minha boca

– Eu sempre fui muito curiosa, então quando eu menstruei pela primeira vez, eu queria a saber que cheiro tinha e eu cheirei. OBS: Não recomendo a ninguém que faça o mesmo, o cheiro não é muito bom, pelo menos para mim

– Eu comi sabão ralado pensando que era coco ralado

– Quando eu tinha três anos (e ainda usava fralda), eu achei que seria uma ótima ideia pegar a fralda que minha mãe tinha acabado de tirar de mim e sair girando pelo quarto dos meus pais. Resultado: ninguém dormiu naquele quarto por um mês

– Quebrei um vaso caro da minha mãe e minha irmã disse que se eu não lambesse um ferimento dela, ela contaria pra nossa mãe. Eu resisti, mas acabei cedendo e ela contou pra minha mãe de todo jeito

– Creio que uma das mais nojentas tenha sido as diversas “poções” que eu e meus amigos fazíamos quando tínhamos uns 7 ou 8 anos. Costumávamos recolher diversos “ingredientes”, desde ovos podres e fezes de animais a bichos mortos, e misturar tudo em potes de sorvete vazios. No final, deixávamos a podridão toda na porta dos vizinhos e íamos para casa ver Power Rangers

– Na volta de uma viagem eu comecei a sentir UMA PUTA DOR DE BARRIGA, e como sou uma pessoa extremamente sortuda, eu estava em um congestionamento IMENSO em cima de uma ponte… a vontade de ir ao banheiro era incontrolável e eu tive que trancar o c* a 7 chaves. Acabei tendo que defecar no saquinho de Ruffles que minha irmã tinha acabado de comer e, claramente, o cheirinho e o desconforto fez meus pais e minha irmã descerem do carro… traumatizante.

– Engolir esperma. Em todas as situações em que me era necessário ingerir aquele liquido viscoso, para evitar quebra de clima, já me via distopicamente morrendo com ele se petrificando ao entrar em contato com a água de meu corpo

– Puxei um verme de um furúnculo no meu abdome. Estava no banho quando reparei que havia um pontinho branco saindo do furúnculo e puxei com uma pinça até sair por completo. Quanto mais eu puxava, maior e mais groso ele ficava. No fim, havia um buraco jorrando sangue no meu abdome de onde aquela coisa saiu

– Vomitar durante o ensaio da música do Proerd (ou juramento, não lembro muito bem o que era, só sei que tinha uns berros de crianças contra as drogas) na classe

– Isso é meio embaraçoso de admitir, mas eu já provei a minha menstruação para saber se o gosto era igual ao de sangue “normal”

– Na aula de anatomia na faculdade, uma perna dissecada caiu e eu tentei pegar sem luvas, e fiquei com cheiro de formol por um bom tempo

– Bom, uma vez eu comi uma barata porque meu amigo me desafiou. Basicamente colocamos ela no microondas por 10 segundos e adicionamos sazon, aí eu comi

– Quando eu era criança, meus primos mais velhos costumavam contar histórias bizarras para os mais novos. Eu, sempre ingênuo, acreditava em tudo. Uma vez, eles inventaram que uma amiga deles, após fazer suas necessidades, pegou o papel no qual havia se limpado e … SLAP… lambeu o papel inteirinho!! Segundo eles, como ela havia comido muitos doces no dia anterior, o gosto do cocô também era igual. Então, na semana seguinte eu comi muitos doces e, após ir ao banheiro e me limpar… digamos que foi ali que eu percebi que não se deve acreditar em tudo o que se ouve. E sim, EU LAMBI MEU PRÓPRIO COCÔ

Quer mais? Veja as pérolas de 2016, 2015, 2014, 2013 e 2012.

Continua após a publicidade
Publicidade