GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Animal em extinção não sensibiliza ninguém

A maioria das pessoas continua achando que perda de biodiversidade é um problema "para o futuro"

Claro que todo mundo fica triste ou preocupado ao descobrir que uma espécie corre o risco de desaparecer. Mas acredite: evocar a imagem de um animal em extinção não é a melhor forma de convencer alguém a preservar a natureza. Quem entende de marketing garante que esse tipo de mensagem não funciona porque carrega uma carga negativa – a ideia de causa perdida, que desestimula a ação prática.

Não que a extinção de espécies deva ser deixada de lado, muito pelo contrário! Mas a prova de que os marqueteiros verdes estão certos, segundo eles mesmos, seriam as pesquisas de opinião que demonstram a insensibilidade geral para esse tema – apesar do bombardeio de mensagens preservacionistas baseadas na extinção. Um levantamento feito em 2010 na Europa revelou que mais de 70% dos europeus acreditam que a perda de biodiversidade é um problema “para o futuro”. Se é assim no Primeiro Mundo, imagine aqui no Brasil.

“As pessoas só protegerão a natureza por vontade, não por dever”, costuma pregar o pessoal da Futerra Sustainability Communications, uma agência britânica de marketing conservacionista que defende abordagens mais “positivas” da questão. Em vez de apelar para a extinção de espécies, dizem os marqueteiros, deveríamos destacar quão bonita, exótica e fascinante é a vida selvagem. Ou ressaltar os benefícios, inclusive financeiros, proporcionados pela preservação dos mares e das florestas. Segundo a Futerra, essas são mensagens que emocionam, despertam a curiosidade, estimulam o engajamento – bem mais eficientes e motivadoras.