Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Brasileiros testam técnica para fazer fígado em laboratório

Cientistas provaram eficácia do método recriando órgão de rato com células humanas.

Por SUPER
Atualizado em 16 mar 2021, 17h08 - Publicado em 10 mar 2021, 20h00

O Brasil realiza quase mil transplantes de fígado por ano. O número é alto comparado a outros países, mas, ainda assim, há 7 mil candidatos aguardando na fila. Uma técnica de bioengenharia promissora testada por pesquisadores da USP, porém, pode ajudar a diminuir esse número. Os biólogos Mayana Zatz e Luiz Carlos de Caires Júnior falaram à Super sobre o tema.

Como o método funciona?
A técnica usada é a de descelularização. Nela, todas as células do fígado são retiradas, restando apenas a matriz extracelular, uma espécie de esqueleto. Então, é possível pegar uma amostra de sangue ou pele do paciente receptor do órgão, levar para laboratório e produzir células iPS – um tipo de célula-tronco. Depois, as iPS são reprogramadas em células hepáticas. Assim, o órgão não é rejeitado porque usa as células da própria pessoa. Teríamos, então, um fígado recauchutado, mas com células novas e funcionais. 

Por que testar num fígado de rato?
O passo seguinte
[à descelularização] é reconstruir o órgão, o que conseguimos fazer usando células humanas num fígado de rato. A gente começou com um fígado pequeno porque é preciso reunir um número muito grande de células – e equipamentos capazes de fabricar células em grande quantidade. Por isso, fizemos primeiro a prova de conceito, que mostra que é um método possível. Assim, há segurança para partirmos para algo maior. Entre os próximos 12 e 24 meses, já deveremos conseguir usar a matriz de fígado humano.

Quais as vantagens?
Além de diminuir a fila de transplantes, o receptor não vai precisar usar drogas imunossupressoras após a cirurgia. Essa medicação inibe o sistema imunológico do paciente para que o corpo não rejeite o órgão, o que faz com que a pessoa fique mais suscetível a infecções secundárias. Com a técnica, isso poderia ser evitado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.