Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Chineses e europeus sentem gostos de forma diferente

Anatomia da língua faz asiáticos perceberem mais nuances em sabores amargos.

Por SUPER Atualizado em 18 fev 2021, 16h56 - Publicado em 10 fev 2021, 19h39

Chineses possuem mais papilas fungiformes – estruturas da língua com formato de cogumelo que são centrais na degustação – do que dinamarqueses. E isso altera sua experiência com a comida.

Asiáticos sentem melhor nuances de sabores amargos, encontrados em alimentos como brócolis, couve-de-bruxelas ou chocolate com alto teor de cacau, por exemplo.

É o que afirma um estudo da Universidade de Copenhague, feito em parceria com cientistas da China, que usou inteligência artificial para encontrar diferenças anatômicas nas línguas de 152 voluntários.

Para além da genética, experiências de sabor têm a ver também com gostos pessoais e culturais. O mesmo estudo descobriu que, enquanto 77% dos chineses preferem alimentos que não requerem muita mastigação, 73% dos dinamarqueses preferem comidas de consistência mais rígida, que precisam ser mordidas e mastigadas várias vezes – como pão de centeio ou cenoura.

Continua após a publicidade
Publicidade