Clique e assine a partir de 8,90/mês

De onde veio o zika? Estudo traça caminho do vírus até o Brasil

Segundo levantamento da Fiocruz Pernambuco, a última parada do agente infeccioso antes de desembarcar por aqui teria sido o Haiti

Por Luiza Monteiro - 14 ago 2018, 18h15

A incidência de infecções pelo vírus da Zika no Brasil vem caindo desde a epidemia que assolou o país em 2015. Mesmo assim, os número ainda preocupam. Só em 2018, 88 a cada 100 mil brasileiros sofreram com a doença, que tem um impacto especial sobre mulheres e crianças.

A boa notícia é que a ciência brasileira está cada vez melhor em compreender o problema – e suas origens. Um estudo conduzido por pesquisadores da Fiocruz Pernambuco, publicado recentemente no International Journal of Genomics, registra uma “biografia” detalhada da doença. Já se sabia, por exemplo, que o vírus surgiu na Polinésia Francesa, onde ficam praias paradisíacas como o Taiti. A nova pesquisa foi além – e traça, passo a passo, a rota que o zika percorreu até chegar ao Brasil. Os resultados são surpreendentes.

Uma das grandes hipóteses era que a Copa do Mundo de 2014 teria alguma culpa, trazendo o vírus às terras verde-amarelas junto com os visitantes internacionais. No mesmo ano, também houve o campeonato mundial de canoagem no Rio de Janeiro. Mas os eventos esportivos foram absolvidos – nenhum dos dois foi responsável pela chegada do Zika.

Segundo o artigo, o vírus original seguiu da Polinésia Francesa até a Oceania e, de lá, viajou até a Ilha de Páscoa, sempre “hospedado” em seres humanos infectados. Dali, partiu rumo à América Central e ao Caribe. E de lá, foi um pulo até chegar no Brasil.

De acordo com os pesquisadores, essa é uma porta de entrada comum para muitos vírus que chegam à América do Sul: “Isso coincide com o caminho percorrido pelos vírus dengue e chikungunya”, observa, em nota, Lindomar Pena, que participou da investigação.

Mapa mostra a rota do vírus zika até chegar ao Brasil
Mapa mostra a rota do vírus zika até chegar ao Brasil. International Journal of Genomics/Reprodução

Os pesquisadores encontraram detalhes ainda mais específicos sobre a jornada do Caribe até aqui. Fizeram isso analisando mais de 4 mil amostras de genomas completos de três tipos de zika. O objetivo era descobrir qual deles era mais parecido geneticamente com a “versão” do vírus (ou a cepa viral) que causou a epidemia brasileira.

Entre todas essas amostras, aquelas que vinham do Haiti eram as mais aparentadas ao Zika do Brasil. O que não quer dizer que um único viajante foi responsável pela epidemia. Pelo contrário: de acordo com os autores do estudo, o mais provável é que o vírus tenha chegado aqui por várias vias, mas principalmente por meio de refugiados haitianos e militares brasileiros – completando a volta ao mundo desse penetra inconveniente.

Continua após a publicidade
Publicidade