Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Metal usado durante a Idade do Bronze pode ter origem alienígena

Artefatos da época têm quantidades de ferro e níquel impossíveis para a Terra. E o mais provável é que tudo tenha vindo do espaço, à bordo de meteoritos

Por Guilherme Eler 6 dez 2017, 18h48

A descoberta de que o faraó Tutancâmon tinha uma faca vinda diretamente do espaço, no meio do ano passado, pegou a comunidade científica de surpresa. E olha que nem tinha a ver com aliens mercadores fazendo uma visitinha ao Egito Antigo, longe disso.

Antes de a espécie humana dominar a mineração e conseguir extrair ferro da hematita, forma bruta em que o metal é encontrado na natureza, os corpos celestes pareciam a grande fonte desse mineral “exótico”. Para fazer a peixeira personalizada do chefinho, por exemplo, os aprendizes de ferreiro egípcios usaram um pedregulho caído do céu  o Kharga, meteorito que aterrissou na costa egípcia do Mediterrâneo, a 250 quilômetros de Alexandria, e foi identificado nos anos 2000.

Escolher pelos metais alienígenas não tinha a ver com escolha estética, mas sim, com facilidade de produção. Optando pelo material espacial, os egípcios conseguiam driblar a falta de domínio em processos como a fundição — já que o minério vinha quase pronto para uso, ao invés de repousar em pedras de camadas inferiores do solo.

O que uma nova pesquisa indica, no entanto, é que a prática de fazer utensílios com RG espacial não nasceu com a civilização egípcia. Muito pelo contrário. Armas e ferramentas humanas da Idade do Bronze, forjadas milhares de anos antes da queda de Cleópatra, já seguiam essa mesma técnica de fabricação.

Continua após a publicidade

Foi na época histórica conhecida como Idade do Bronze que os humanos dominaram a mistura de cobre e estanho que dá nome ao período. O curioso é que, embora fizessem quase tudo com essa liga metálica, resistente e maleável, nossos ancestrais já produziam também suas primeiras peças com ferro, consideradas, à época, como verdadeiras raridades — algo que mudaria somente cerca de 2 mil anos depois, com a Idade do Ferro, em que tudo começaria a teria a cor prateada.

Os artefatos analisados pelo estudo foram produzidos nesse mesmo período, mais precisamente entre 1300 e 3200 a.C. Na lista de exemplos analisados havia peças como uma pulseira feita no Egito, uma adaga produzida na Turquia e um colar e um machado made in Síria — além de objetos chineses variados e artigos da própria tumba de Tutancâmon. 

Utilizando imagens de um espectrômetro de fluorescência de raios-x, equipamento que usa ondas eletromagnéticas para perturbar elementos químicos e, assim, determinar sua composição, os pesquisadores procuravam por sinais de níquel e cobalto — metais que poderiam mais facilmente acusar a origem extraterrestre. A comparação com amostras de ferro terrestre acusou a origem na hora: o material ferroso presente nos artefatos, na verdade, também teria vindo do espaço.

“Nossos resultados complementam análises profundas de outros estudos, que sugerem que a maioria do ferro da Idade do Bronze é derivado de meteoritos”,  comenta Albert Jambon, autor da pesquisa. “ O próximo passo é determinar quando e onde esse tipo de metal apareceu pela primeira vez”.

O estudo foi publicado no periódico Journal of Archaelogical Science.

Continua após a publicidade

Publicidade
Ciência
Metal usado durante a Idade do Bronze pode ter origem alienígena
Artefatos da época têm quantidades de ferro e níquel impossíveis para a Terra. E o mais provável é que tudo tenha vindo do espaço, à bordo de meteoritos

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade