Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Neil deGrasse Tyson divulga, no Twitter, carta à ciência brasileira

O astrofísico comenta Santos Dumont e Embraer – e afirma que nossa ciência e tecnologia só vão avançar se nos orgulharmos do conhecimento produzido aqui.

Por Bruno Vaiano Atualizado em 30 out 2020, 11h42 - Publicado em 30 out 2020, 11h39

O astrofísico pop Neil deGrasse Tyson divulgou no Twitter na manhã desta sexta (30) uma carta de incentivo à ciência e tecnologia brasileiras.  A mensagem faz parte da coletânea Letters from an Astrophysicist, que está sendo lançada este mês em países anglófonos. A tradução em português, intitulada Respostas de um astrofisico, vai sair pela editora Record e está em pré-venda.

No texto, o diretor do Planetário Hayden, em Nova York, afirma que nunca pôde vir ao Brasil – mas que passou bastante tempo no nosso vizinho Chile, frequentando os telescópios de última geração instalados no Deserto do Atacama. 

Tyson fala do céu estrelado em nossa bandeira e dos clichês que os estrangeiros associam a nosso país. E explica que a melhor maneira de incentivar o futuro da nossa ciência e tecnologia é cultivar uma imagem positiva desses setores no presente. Por que nos vangloriamos do futebol e da garota de Ipanema, mas não dos aviões da Embraer, uma das empresas mais relevantes do setor aeroespacial?

“Um dos grandes pioneiros nos primórdios da aviação era brasileiro”, escreve Tyson. “Engenheiro brilhante e inventivo, altamente condecorado, Alberto Santos-Dumont liderou a transição mundial do transporte aéreo mais leve que o ar para o mais pesado que o ar. O valor de uma semente cultural como essa, plantada no nascimento de uma indústria, é incalculável.”

Você pode ler a carta na íntegra, em português, no site do Planetário Hayden. Clique aqui.  

Continua após a publicidade
Publicidade