GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Pernas para que te quero?

O incrível caso de um peixe que tinha tudo para andar, mas nunca saiu da água.

Há 360 milhões de anos, o acantostega tinha pernas, punho, mão e dedos, como quase todos os mamíferos atuais. Mas não sabia andar. Então, para que tinha pernas? Esse é o enigma que a professora Jennifer Clack, do Museu de Zoologia da Universidade de Cambrigde, Inglaterra, está tentando responder. Clack descobriu um fóssil do acantostega em 1987 e desde então vem estudante o bicho. Ela revelou para a SUPER as suas conclusões: “A mais importante é que seu punho era frágil demais para sustentar o corpo fora da água”. Isso é surpreendente porque há muito tempo se acredita que as pernas surgiram para ajudar certos peixes a andar em terra. Habitantes de águas rasas que secavam na falta de chuva, eles tentavam se arrastar para a lagoa mais próxima usando usando as barbatanas. Assim, as barbatanas teriam evoluído até virar pernas de verdade. Mas o acantostega não se encaixa nesse esquema. Apesar de ter a estrutura óssea característica dos animais terrestres, nunca pôde usá-la pata andar em terra, de acordo com Jennifer. Uma possibilidade é que as pernas tivessem uma função menos nobre. Serviam apenas para o bicho se agarrar ao fundo das lagoas, enquanto ficava quieto, de tocaia á espera da presa. Seriam só uma âncora.

Ponte Evolutiva

O mais antigo animal de quatro patas já encontrado, o acantostega, hoje extinto, foi umas das pontes evolutivas entre os peixes e os animais terrestres. Era muito estranho. Com mais de 1 metro de comprimento, parece uma mistura de peixe com uma salamandra gigante.