GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Proteínas contra o vírus da Aids

Você já deve estar cansado de ouvir dizer que “alguém” descobriu “alguma coisa” que pode ajudar na cura da Aids. Mas, desta vez, vale a pena ficar atento: está começando agora um verdadeiro trabalho de detetive para verificar como alguns organismos conseguem resistir ao abominável HIV. Aparentemente, o corpo humano fabrica três ou quatro substâncias que são veneno puro para o invasor das células. Os tóxicos do bem procuradas há nove anos foram identificados por duas equipes, uma chefiada por Robert Gallo, da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, e outra dirigida por Reinhard Kurth, do Instituto Paul Ehrlich, em Langem, Alemanha. As novas substâncias pertencem ao grupo das quemocinas, proteínas ainda pouco conhecidas, fabricadas pelas células do sistema imunológico, que fazem a defesa do organismo. “As quemocinas impedem que o vírus se multiplique e acabam com ele”, garantiu Gallo. A eficiência das drogas parece estar fora de dúvida. “Todos os grandes nomes da pesquisa do HIV estão impressionados”, afirma o bioquímico David Baltimore, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina de 1975. “Sensa-cional”, disse à SUPER o especialista Anthony Fauci, do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, nos Estados Unidos. “O desafio é saber se essas substâncias têm a mesma eficiência fora do laboratório, dentro do organismo humano”.