GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Tamanho do cérebro não determina inteligência

Qualquer cachorro é bem mais esperto que um camelo, mesmo com um cérebro 10 vezes menor

Textos Eduardo Szklarz

Em 2007, cientistas lamentaram a morte de uma das mentes mais brilhantes do planeta. Alex, um papagaio-cinzento de 31 anos, sabia identificar objetos pela cor, compreendia os conceitos de “maior” e “menor”, contava até 6 e dominava um vocabulário de 150 palavras. Tudo com um cérebro de apenas 9 gramas, equivalente a 3 castanhas-do-pará.

As façanhas de Alex demonstram que não existe relação entre o tamanho do cérebro e seu desempenho cognitivo. O cão não é menos inteligente que o camelo só porque tem um cérebro 10 vezes menor. E o hipopótamo não é 44 mil vezes mais inteligente que uma abelha (capaz de se comunicar por meio da dança). Outro exemplo vem dos corvos: na Inglaterra, pesquisadores do grupo de ecologia comportamental da Universidade de Oxford observaram um espécime construir um gancho – retorcendo com o bico um pedaço de arame – para “pescar” alimento.

Na hora de avaliar a inteligência de um animal, é preciso levar em conta a proporção entre o tamanho do cérebro e o tamanho do corpo inteiro. Quanto maior o volume total, maior será a parte da massa cerebral dedicada quase que exclusivamente à tarefa de comandar as contrações da enorme estrutura muscular. No homem, a relação cérebro/peso total é de quase 2%, contra 1% no chimpanzé e 0,01% no tubarão-branco. Mas essa conta não basta, pois ela tende a favorecer animais pequenos – e, muitas vezes, de intelecto nada brilhante, como o esquilo (3%).

É por isso que os cientistas, quando tentam estimar a inteligência de qualquer bicho, investigam outras características cerebrais além do tamanho. “Uma delas é a quantidade de dobras do cérebro”, diz o médico Arthur Toga, professor do Laboratório de Neuroimagem da Universidade da Califórnia, nos EUA – quanto maior a quantidade de dobras, mais inteligente é o animal. Fatores igualmente importantes são o número de sinapses (ligações entre os neurônios), o tamanho do córtex (responsável por funções como linguagem e consciência) e a espessura do corpo caloso (que conecta os dois).

 

Dois pesos, nenhuma medida
A relação entre tamanho do cérebro e tamanho do corpo todo é importante, mas não explica tudo

Hipopótamo

Peso total: 3 toneladas
Peso do cérebro: 580 gramas
Relação cérebro/peso total: 0,0019%

Abelha
 
Peso total: 0,083 gramas
Peso do cérebro: 0,013 gramas
Relação cérebro/peso total: 15,6% 

Esquilo 

Peso total: 250 gramas
Peso do cérebro: 7,6 gramas
Relação cérebro/peso total: 3% 

 

Corvo

Peso total: 250 gramas
Peso do cérebro: 5,8 gramas
Relação cérebro/peso total: 2,3%

Fontes: Eric H. Chudler, Universidade de Washington (EUA) e Helmut Prior, Goethe Universitat (Alemanha).