Assine SUPER por R$2,00/semana
Imagem Blog

Oráculo

Por aquele cara de Delfos
Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.
Continua após publicidade

Poderia existir um avião movido a energia nuclear,que nem um submarino ou porta-aviões?

Na teoria, sim. Na prática, não.

Por Bruno Vaiano Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 27 jan 2022, 10h22 - Publicado em 20 jan 2022, 18h38

Um reator de fissão nuclear cabe num submarino ou num porta-aviões, que têm mais de 100 m de comprimento, mas seria grande e pesado demais para um avião.

A Marinha dos EUA, nos anos 1950, calculou que um reator compacto o suficiente para um avião liberaria 500% mais calor que o reator pioneiro do submarino USS Nautilus, de 1955, e acabaria derretendo.

Outra fonte de peso é a blindagem que protege os tripulantes da radiação – fora o risco de contaminação do solo caso o avião caísse. Hoje, sem Guerra Fria e com preocupações ambientais, não há mais interesse na tecnologia.

A autonomia dos aviões era uma questão periclitante para soviéticos e americanos no início da era nuclear. A conversa de Trump sobre os EUA comprarem a Groenlândia (que nunca se concretizou) é uma herança dessa época: a ideia era ter uma base aérea que permitisse acessar o território russo pelo Polo Norte, um atalho que permitiria aos bombardeiros atacar e voltar sem reabastecer.

Outra vantagem estratégica seria a capacidade de manter aeronaves de reconhecimento e espionagem no ar 24 horas por dia, que sequer precisariam pousar.

Continua após a publicidade

Ao longo da Guerra Fria, os EUA dependeram bastante de bases em território europeu, nos países da OTAN, para manter o território soviético no alcance de seu arsenal nuclear.

Pergunta de @diego.zanchetta, via Instagram

Compartilhe essa matéria via:

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.