Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Oráculo Por aquele cara de Delfos Ser supremo detentor de toda a sabedoria. Envie sua pergunta pelo inbox do Instagram ou para o e-mail maria.costa@abril.com.br.

Protetor solar e outros cosméticos poluem a água?

Protetor solar ou outros cosméticos poluem o mar? Obrigado. Thiago Queirog   BANHINHO BOM Em tese, qualquer coisa que seja estranha ao ambiente pode gerar poluição. Então, tanto os protetores solares quanto cremes hidratantes e outros cosméticos poluem. “Eles ficam na superfície da água, seja do mar, seja das piscinas. No caso do mar, essas substâncias […]

Por Oráculo Atualizado em 21 dez 2016, 09h07 - Publicado em 21 fev 2014, 13h23

Protetor solar ou outros cosméticos poluem o mar? Obrigado.
Thiago Queirog

 

BANHINHO BOM

lama

Em tese, qualquer coisa que seja estranha ao ambiente pode gerar poluição. Então, tanto os protetores solares quanto cremes hidratantes e outros cosméticos poluem. “Eles ficam na superfície da água, seja do mar, seja das piscinas. No caso do mar, essas substâncias são arrastadas para os recifes de corais e podem, sim, provocar um desequilíbrio”, explica Maria Lucilia dos Santos, professora do Instituto de Química da UnB.

Segundo um estudo divulgado na revista científica Environmental Health Perspectives, os componentes dos bloqueadores solares provocam uma infecção viral nos corais, que geram o branqueamento e a morte dos organismos. A pesquisa analisou diferentes marcas e composições de protetor solar – todas causaram o dano. De acordo com o artigo, cerca de 10% das reservas de coral no mundo estão ameaçadas pelo branqueamento. “Quanto menos biodegradável for o produto, mais tempo ele fica acumulado no ecossistema”, diz Maria Lucilia. Quanto maior for a quantidade, maior o risco ao ambiente marinho. Segundo pesquisadores do Conselho Superior de Pesquisa da Espanha, o fitoplâncton, crustáceos, algas e peixes também são vulneráveis aos efeitos desses produtos.

Uma solução para diminuir o problema pode ser a produção de protetores solares e cosméticos ecologicamente corretos. A ideia é utilizar materiais que sejam de origem vegetal. “Eles se degradam mais rápido do que os produtos de origem petroquímica”, esclarece a professora. Lugares como o parque Xcaret, em Cancún, México, permitem apenas o uso de protetores biodegradáveis. Cancún, terra da esbórnia e da vidaloka dos rolezeiros de apartamento, quem diria, é nota 9,5 no quesito alegoria e adereços sustentáveis.

Continua após a publicidade

Publicidade