GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A voz das mulheres fica mais grossa após a gravidez

Não é só culpa dos hormônios: vozes mais graves transmitem mais respeito em situações sociais, o que pode ser uma arma de defesa de mães de primeira viagem

A gravidez é um bomba hormonal. Muda tudo no corpo de quem tem outra vida na barriga – inclusive a voz. Um novo estudo da Universidade de Sussex, na Inglaterra, revelou que mães que acabaram de ter o primeiro bebê passam a falar com um timbre um pouco mais grave.

Os cientistas ficaram curiosos e realizaram esse estudo após boatos de que cantoras e atrizes teriam entrado no modo Darth Vader após a gravidez. Adele, por exemplo, chegou a afirmar que “soava como um homem” durante a gestação, o que a ajudou a cantar as difíceis notas graves do hit Skyfall – que lhe rendeu um Oscar. Nem a britânica nem as demais grávidas de plantão, porém, precisam se preocupar: a mudança é temporária. O efeito dura no máximo um ano após o parto, e a voz volta ao seu timbre normal depois desse período.

Estudos anteriores já mostravam que o timbre feminino pode mudar com a fertilidade, ao longo do ciclo menstrual e também com a menopausa. Mas alterações associadas à gravidez nunca haviam sido encontradas. “Descobrimos que a voz das mulheres se torna mais grossa e mais monótona depois de dar à luz. Uma boa explicação relaciona esse fato com as alterações hormonais: há uma queda acentuada nos níveis dos principais hormônios sexuais, o que influencia na dinâmica das pregas vocais e no controle da voz após o parto”, diz em comunicado Kasia Pisanski, líder do estudo.

Veja também

Outra explicação plausível para o fenômeno é comportamental: sabe-se que pessoas com voz grave são julgadas como mais competentes, maduras e dominantes. A autora do estudo acredita que mulheres podem modular as próprias vozes justamente para soarem mais respeitáveis diante dos desafios da maternidade. Também entram na conta a fadiga mental e física e as mudanças no humor e na percepção do próprio corpo que vêm com a gravidez.

Para chegar a essas conclusões, os cientistas acompanharam 20 mulheres de diversas áreas profissionais (cantores, atrizes, jornalistas e celebridades) por dez anos – 5 anos antes e 5 anos depois de engravidarem. Seus registros vocais foram gravados durante todo esse período, e guardados em arquivos. No total, os pesquisadores analisaram 634 clipes de entrevistas – resultando em 277 minutos de áudio.

O resultado mostrou que o tom de voz das mulheres engrossa, em média, 5% (mais que o intervalo entre duas notas de piano). O tom mais grave que elas conseguem alcançar também aumenta (viu só, Adele?). Como a voz de uma pessoa afeta significativamente a forma como ela é vista perante a sociedade, as mudanças pó-parto nas vozes das mulheres podem influenciar suas interações sociais. O próximo passo dos pesquisadores é testar se essa mudança influencia na maneira como as novas mamães são julgadas, mesmo que temporariamente.