GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Bichos – Selvagens de estimação

Abraçar um panda de verdade, encontrar dragões-de-komodo, nadar com um elefante? Sim, você pode. Basta saber aonde ir

O bicho: elefante (nadador)
Onde: Índia

Uma cena surreal se repete a cada vez que o atlético Rajan, o último elefante do mundo que sabe nadar no mar, sai para seus mergulhos matinais em Havelock, nas Ilhas Andaman, a 1 200 quilômetros da Índia continental. Aos 60 anos, ele foi treinado nos anos 70 para transportar madeira pela água. Hoje aposentado, Rajan faz a alegria de turistas que pagam cerca de US$ 250 a um centro de mergulho para poder nadar com ele. Detalhe: o simpático paquiderme só entra na água se quiser.
Se você der o azar de ele empacar, ao menos recebe parte do dinheiro de volta. www.diveandamans.com

O bicho: tubarão-martelo
Onde: Costa Rica

Ainda que, desde o ano 1580, apenas 17 ataques a seres humanos por parte de tubarões-martelo tenham sido registrados pelo International Shark Attack File, encontrar esses bichos embaixo dágua requer nervos inoxidáveis. Isso porque eles chegam a até 6 metros de comprimento e parecem uma mistura alienígena de peixe com aspirador de pó. Raríssimos 2 das 9 variações existentes estão em risco de extinção, segundo a International Union for Conservation of Nature , eles são encontrados em cardumes numerosos apenas em lugares longínquos, como a Isla del Coco, um parque nacional a 550 quilômetros do litoral da Costa Rica, esquecido no Pacífico, tombado pela Unesco. O único jeito de chegar lá é com barcos em sistema live-aboard (hospedagem a bordo), como os da Agressor a viagem de 10 dias, com mergulhos, custa US$ 3 835. www.aggressor.com

O bicho: dragão-de-Komodo
Onde: Indonésia

Ele tem garras negras e afiadíssimas, chega a medir 3 metros e pesar até 100 quilos. Um tapinha de sua cauda rápida e flexível é capaz de jogar um ser humano adulto longe, e suas mandíbulas são fortes o suficiente para mastigar um búfalo. Tudo isso, porém, está longe ser a arma mais letal do famigerado dragão-de-komodo: em sua baba pegajosa, vivem bactérias capazes de matar uma pessoa em questão de horas. Essa espécie de lagarto pode ser encontrada em apenas duas remotíssimas ilhas da Indonésia: Rinca e Komodo, onde vivem 1 100 e 1 300 dragões, respectivamente, protegidos pelo Komodo National Park. Mais compacta, Rinca é a melhor das duas para avistar os bichos em trilhas exploratórias na companhia de um guarda florestal (incluído no preço da entrada, de US$ 15) que protege a expedição armado de… um pedaço de pau. A última vítima do dragão foi um pescador, morto em 2009. www.komodonationalpark.org

O bicho: urso-panda
Onde: China

Felpudo e fofinho, ele nasceu pronto para ser reproduzido em pelúcia. Mas de meigo o panda não tem nada. Como todo urso que se preze, ele pode causar estragos se for provocado ou se sentir ameaçado. Turistas são bem-vindos no centro de pesquisa Panda Base, na região chinesa de Chengdu, que luta para salvar a espécie da extinção. Ali, eles estão acostumados com a presença humana e são bem alimentados. De bom humor, portanto, posam para fotos e podem até ser abraçados pelos visitantes por uma taxa de extra de US$ 150, além dos US$ 13 do ingresso. www.panda.org.cn

O verdadeiro rei da selva

Acredite: você não precisa viajar para ficar cara a cara com o animal mais perigoso do planeta. Inconveniente e onipresente, o mosquito é considerado em muitas listas que procuram ranquear os animais mais perigosos do mundo , o maior dos serial killers. Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 1 milhão de pessoas morrem anualmente em decorrência de doenças provocadas por esse serzinho voador. Dengue, febre amarela, encefalite japonesa e elefantíase são alguns dos males transmitidos. Mas a grande vilã é a malária, que mata cerca de 800 mil pessoas por ano nas zonas tropicais do planeta incluindo a Amazônia brasileira. Os cachorros que nos desculpem, mas o repelente é o melhor amigo do homem.