Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Cimento: Das pirâmides ao lixo atômico

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h54 - Publicado em 30 abr 1988, 22h00

Há 4500 anos terminava em Gizé, no Egito, a construção da Grande pirâmide e que abrigaria o corpo mumificado em do faraó Quéops. Os blocos maciços dessa e das outras pirâmides permanece um unidos até hoje, provavelmente graças a um material cuja receita se perdeu com o tempo. Agora, o químico americano Joseph Dawidovits disse ter criado um tipo de cimento que ele chama de geopolímero e com cara ao material usado pelos antigos egípcios. Se o novo cimento durar como as pirâmides, poderá resolver uma dor de cabeça dos tempos modernos – como guardar o lixo das usinas nucleares, a que permanece radiativo por milhares de anos.

Publicidade